Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Nos próximos dias o Amapá pode ser considerado uma área livre de aftosa com vacinação. Em maio deste ano, o gado amapaense saiu do estado de “alto risco” para área de “médio risco”. Agora, aguarda a divulgação oficial da mudança que será feita pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa).

A notícia foi confirmado pela Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Estado do Amapá (Diagro). As últimas inspeções sanitárias necessárias já foram realizadas para que a instrução normativa do Mapa seja publicada ainda este mês no Diário Oficial da União.

Com a nova instrução, o Amapá pode finalmente ganhar o mercado nacional com a carne produzida em seu território, e passa a vislumbrar a comercialização de produtos derivados de proteína animal como queijo mussarela do leite de búfala, produto muito valorizado pelo mercado nacional e internacional.

Renato Ribeiro, diretor da Diagro: multiplicação do pasto com manejo adequado. Foto: Arquivo/SN

“O Amapá passa a poder exportar carne para fora. Com a multiplicação do pasto por meio de manejo bem direcionado, teremos excedente de proteínas para a comercialização e isso significa um salto muito grande para o estado”, considerou o diretor presidente da  Diagro, Renato Ribeiro.

Campanha de Vacinação

A campanha de vacinação contra a febre aftosa foi lançada nesta sexta-feira (15) pelo governo do Estado. Este ano a meta é vacinar 334 mil animais bovinos e bubalinos. O número é maior que em 2016, que foi de 326 mil animais. Atualmente, o rebanho do Estado está em 341 mil cabeças. A campanha terá um mês de duração.

Após a campanha, o produtor terá até o dia 25 para informar a Diagro o quantitativo de animais que receberam a vacina juntamente com suas especificações técnica como faixa etária e sexo além de nota fiscal da compra das vacinas.

 

Compartilhamentos