Compartilhamentos

A Polícia Civil e a Receitas Federal e Estadual realizaram nesta terça-feira, 03 de dezembro, uma grande operação de combate à sonegação fiscal no Centro Comercial de Macapá. Outro alvo foi a pirataria. As equipes inspecionaram lojas que comercializam materiais importados atrás de vendas sem notas fiscais. A grande quantidade de objetos apreendidos como materiais eletrônicos, bolsas, artigos decorativos entre outros, foi suficiente para encher 20 caixas e sacas de produtos.

Fiscais das Receitas Estadual e Federal vasculham lojas e encontram muitos produtos suspeitos de sonegação.

Fiscais das Receitas Estadual e Federal vasculham lojas e encontram muitos produtos suspeitos de sonegação.

Os proprietários das lojas foram surpreendidos pela presença dos policiais no início da manhã. Eles foram obrigados a apresentar documento da empresa e dos produtos que estavam sendo vendidos. Uma prática comum é misturar materiais sem nota fiscal com os legalizados.

De acordo com o delegado da Receita Federal, Marcos Kuroda, os produtos sem nota fiscal chegam à capital de várias maneiras. As mais comuns são pelos Correios, transportadoras e pelo rio Amazonas, neste caso o material normalmente vem pelo Suriname.

Proprietários poderão receber as mercadorias de volta, desde que comprovem o recolhimento de impostos

Proprietários poderão receber as mercadorias de volta, desde comprovem que o recolhimento de impostos.

Embarcações transportando produtos vindos da região das Guianas são identificadas com frequência nos rios do Amapá. Para Receita Federal o estado está na rota do contrabando que tem caminhos definidos no país.

O material recolhido foi levado para a Receita Federal e pode ser devolvido aos donos desde que apresentem a documentação que comprove a origem e o pagamento de tributos. A Receita Federal tem outras operações programadas para este mês de dezembro.

Compartilhamentos