Compartilhamentos

Não basta só arrumar as malas. Quem estiver pensando em viajar de avião neste período precisa estar preparando para horas de espera nos aeroportos da região Amazônica por causa da estação das chuvas. No Amapá o mau tempo continua atras

Com o céu totalmente nublado, aviões não conseguem pousar só com instrumentos.

Com o céu totalmente nublado, aviões não conseguem pousar só com instrumentos.

ando voos no Aeroporto Internacional de Macapá.

Estudante Estefane Valadares precisou esperar 6 horas para que o pouso fosse autorizado

Estudante Estefane Valadares precisou esperar 6 horas para que o pouso fosse autorizado

Da noite de quarta-feira até a manhã desta quinta-feira, 30, nada menos que seis voos foram prejudicados pela baixa visibilidade. Segundo a Infraero, os transtornos são causados pela chuva e pelo nevoeiro causado pela Lagoa dos Índios, que forma nuvens densas e impede a visibilidade dos pilotos. Os passageiros, que nada tem a ver com o mau tempo e a falta de tecnologia do aeroporto que permitam o pouso por instrumento, reclamam da falta de assistência das companhias.

Segundo os passageiros, a Infraero informou o cancelamento de decolagens e pousos de todos os voos, mais não houve assistência mínima por parte das companhias. “Eu estou aqui desde quatro horas da manhã, só avisaram que o voo foi cancelado pelo mau tempo, mas ninguém veio dizer se eu poderia ir para casa”, reclama Estefane Valadares, que aguardava o voo para Brasília.

Com cancelamentos de voos a sala de embarque ficou lotada

Com cancelamentos de voos a sala de embarque ficou lotada

Às 10 horas da manhã, dois voos chegaram de Belém. De acordo com a enfermeira Nazaré Craveiro, os problemas de embarque são piores no aeroporto paraense. “Desde às seis horas da tarde de ontem (quarta-feira) eu estou tentando embarcar no voo. A companhia mandou a gente entrar e sair do avião duas vezes. Havia crianças chorando e ninguém dava informação. Até a Polícia Federal foi chamada para acalmar os mais revoltados. Mas o descaso é grande”, desabafa a enfermeira.

E essa situação ainda poderá se repetir. O meteorologista da Infraero Rosano Trindade informou que a dissipação das nuvens só ocorre com o aumento do calor. “O resfriamento da água da Lagoa dos Índios (que fica no caminho das aeronaves durante a aproximação) agrava a visibilidade, mas o nevoeiro se dissipa com o aumento do calor, que acontece naturalmente durante o dia”.

A previsão da Infraero é que o tempo melhore a partir do período da tarde, com a previsão de aumento da temperatura. “Esse nevoeiro e perfeitamente normal no inverno, mas o grande agravante é a Lagoa do Índios”, afirma o coordenador de meteorologia da Infraero Marcelo Silva.

 

Compartilhamentos