Compartilhamentos

A morte por atropelamento do empresário Roberto de Sousa Fernandes, conhecido como “Bob”, na Rodovia JK no úlltimo 3, trouxe à tona velhas reivindicações de segurança dos ciclistas. Na manhã desta quinta-feira, 14, representantes deles se reuniram com a Secretaria Estadual de Transportes (Setrap), Companhia de Trânsito de Macapá (CTMAC) e Promotoria de Justiça do Meio Ambiente (Prodemac). O objetivo é identificar problemas que persistem e tomar medidas preventivas para que novas tragédias sejam evitadas.

roberto

Roberto de Sousa Fernandes, conhecido como “Bob”

 

 

Em Macapá, a estimativa é de que existam 350 mil bicicletas, mas há apenas 3 ciclofaixas e 2 ciclovias.  De acordo com o corretor de imóveis e ciclista por esporte, Charles Sampaio, várias reivindicações estão em pauta. “As leis não são respeitadas, a sinalização é apagada, as ciclofaixas e ciclovias não são interligadas e levam a lugar nenhum. Queremos a implantação de ciclofaixas nas rodovias e no município. A vida de trabalhadores está em risco”, alertou.

Marcelo Moreira

Promotor de Justiça , Marcelo Moreira

Segundo a Prodemac, leis municipais e estaduais não estão sendo cumpridas. A proposta é que após as fiscalizações, as irregularidades sejam corrigidas. “Identificamos problemas de estacionamento de veículos nas faixas, má conservação, vias inadequadas e faixas fora do padrão. Vamos planejar uma estratégia de melhoria desse transporte”, adiantou o promotor de Justiça , Marcelo Moreira.

Existem cinco leis aprovadas na Câmara Municipal de Macapá que preconizam a implantação de ciclofaixas e ciclovias em Macapá, além de fiscalização dos órgãos competentes. Na prática, muitas leis são descumpridas. Durante a fiscalização, alguns flagrantes foram registrados.  Um motorista estacionou na ciclovia da Hamilton Silva, por exemplo, obrigando o ciclista a sair da faixa e correr o risco de sofrer acidente. “Eu sempre passo por aqui e sempre tem carro na ciclofaixa. Os motoristas não respeitam os ciclistas. Situações como essa de ir para a rua são comuns, apesar de perigosas”, reconhece o ciclista e autônomo, Luiz Lima, de 47 anos.

Mauricio Guedes

Ciclista Mauricio Guedes

A fiscalização continuará nos próximos dias, mas os ciclistas já tem definidas outras reivindicações. Eles querem ciclovias nas rodovias JK, Norte/Sul e Tancredo Neves, além de conservação das existentes e mais fiscalização. “Nós buscamos na verdade a segurança do ciclista, tanto os que usam a bicicleta por esporte, quanto dos trabalhadores. Que seja feita a fiscalização corretiva das faixas visando à melhoria desse transporte utilizado por muitos amapaenses”, ponderou o ciclista Mauricio Guedes, de 44 anos.

A Prodemac prevê que na próxima semana um relatório sobre as ciclovias seja finalizado. Haverá uma convocação dos principais órgãos municipais para que medidas emergências sejam efetivadas.

Compartilhamentos