Compartilhamentos

A incidência do tráfico de drogas no município de Amapá, a 300 quilômetros de Macapá, levou a Polícia Civil a deflagrar na região a Operação “Reincidência”, cujo objetivo foi prender traficantes e tirar das ruas o maior volume de drogas possível.

Durante três meses a polícia investigou a conduta dos suspeitos envolvidos com o tráfico de drogas. A ação foi comandada pelo delegado Vitor Crispim, e foi desenvolvida em duas etapas por conta da complexidade e quantidade de pessoas envolvidas com o crime.

Dinheiro, drogas e delulares apreendidos na operação

Dinheiro, drogas e delulares apreendidos na operação

A primeira etapa da operação ocorreu no dia 13 de agosto e resultou na prisão de Leonardo de Souza Assunção, 20, e três adolescentes com idade entre 15 e 17 anos. Com a quadrilha foram encontradas 50 gramas de “crack” e 25 gramas de maconha, além de 20 munições calibre 20 e vários produtos provenientes de furto que foram trocados por droga.Na ocasião a polícia recuperou aparelhos de televisão, videogames e celulares. O juiz da comarca local converteu a prisão dos acusados de flagrante em preventiva e decretou a custódia provisória dos adolescentes.

A operação teve continuidade no dia 18 de agosto quando foram presos Izaú Barbosa Ferreira,19, Josias Oliveira Barbosa  e Breno Feitosa Balieiro, além de seis adolescentes com idade inferior a 18 anos. De acordo com a investigação, o fornecedor da droga era Breno Feitosa e os demais faziam a venda do produto na sede do município.

Muitos menores de idade foram flagrados vendendo drogas

Muitos menores de idade foram flagrados vendendo drogas

“Na operação apreendemos aproximadamente 100 papelotes de pedra de crack, maconha, apetrechos para preparar a droga, dinheiro arrecadado com o tráfico. Além disso, descobrimos muitos adolescentes que trabalhavam para os traficantes escondendo o entorpecente nas partes íntimas para ser vendido nas festas na cidade”, esclareceu o delegado. O juiz da Comarca de Amapá decretou prisão preventiva dos adultos e mandou liberar os adolescentes.

A polícia apelidou a operação de Reincidência porque Leonardo de Souza Assunção, Luciano de Souza Assunção, Izaú Barbosa e Breno Feitosa já haviam sido presos pelo mesmo crime e se encontravam soltos e traficando entorpecentes novamente.

Fotos: Polícia Civil

 

Compartilhamentos