Compartilhamentos

O desabamento da “Ponte do Armando”, município de Calçoene, no último domingo, 31, mais uma vez deixa o município de Oiapoque isolado. Entre Macapá e Oiapoque ainda existem cerca de 60 pontes de madeira e nenhuma recebe manutenção periodicamente. O problema gera sérios riscos principalmente porque veículos de grande porte trafegam nessas pontes com cargas pesadas. Com o desabamento da ponte a BR-156 está interditada no sentido para o município de Oiapoque, a 590 quilômetros de Macapá.

Denis Leal

Chefe de operações da Polícia Rodoviária Federal, Dennis Leal

A ponte localizada próximo da Comunidade do Carnot desabou com o peso de uma carreta bi-trem carregada com toras de madeira. A ponte já apresentava sinais de fragilidade por falta de manutenção. Polícia Rodoviária Federal e a Secretaria de Transportes do Estado (Setrap) estavam recomendando que caminhões de grande porte não passassem pelo local, mas não havia uma proibição efetiva. “Todas as pontes desse trecho são velhas e sem manutenção nenhuma. Essa ponte já havia sido escorada e os motoristas já estavam de sobreaviso quanto à fragilidade dela”, afirmou o chefe de operações da Polícia Rodoviária Federal, Dennis Leal.

Uma nova ponte será construída no local pela Setrap com apoio do Dnit e da empresa dona da carreta que derrubou a ponte. “Queremos que isso seja feito o mais rápido possível e de forma segura. Os municípios da região não podem ficar isolados por muito tempo. Esperamos que isso sirva como aviso sobre a precariedade das pontes e a necessidade de manutenção”, frisou Dennis Leal.

Segundo a Setrap, as carretas bi-trem não possuem autorização para trafegar nas pontes. “Essas carretas duplas burlam a Polícia Rodoviária Federal. Isso prejudica as pontes que só suportam 8 toneladas. Quando ultrapassa esse peso acaba causando acidentes como esse”, explicou o diretor de transportes do Setrap, Andrey Rêgo.

A Setrap informou que já abriu um desvio de acesso ao município de Oiapoque. Apenas veículos de pequeno porte passam pelo local. O tráfego está sendo controlado pelo próprio órgão até a conclusão dos serviços. A previsão do órgão é que a nova ponte seja concluída em uma semana.

Compartilhamentos