Compartilhamentos

O aumento do número de assaltos na Zona Oeste de Macapá tem causado a evasão nas escolas da região, principalmente entre os alunos que estudam à noite. Um dos estabelecimentos que mais sofre com o problema é a Escola Estadual Professora Helenise Walmira Dias dos Santos, localizada na Linha B do KM-09. Os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) estão cada vez menos assíduos nas aulas por conta da falta de segurança para chegar à escola, que fica em uma área sem iluminação pública.

Segundo uma professora que não quis se identificar, o local tem se tornado propício a assaltos, e isso é mais um motivo para os alunos deixarem os estudos. “O EJA já sofre com a evasão normalmente. Mas com os assaltos essa realidade se tornou ainda mais complicada. Além da necessidade de dispor de uma grande vontade para estudar depois de um dia de trabalho no campo, os alunos ainda têm que enfrentar a falta de segurança. Muitos já foram assaltados no caminho para a escola”, comentou a professora.

Corredores da escola Helenise vazios

Corredores da escola Helenise vazios depois do arrastão

No dia 29 de outubro os bandidos foram mais ousados e invadiram a escola durante o dia para roubar. Eles entraram em três salas de aulas onde estavam crianças de 11 a 14 anos, que ficaram desesperadas com a situação. “Os sete assaltantes entraram na escola pulando o muro lateral. Renderam a vigilante, e em seguida fizeram um arrastão levando tudo que podiam das pessoas que estavam aqui. Os professores se trancaram em uma sala”, acrescentou a diretora adjunta da escola.

Antes do arrastão chegou à escola uma informação de que haveria o assalto, mas ninguém acreditou que isso poderia acontecer. Agora, todos os boatos que chegam ao local sobre assaltos planejados deixa os professores nervosos e a polícia é logo acionada. Não é só a escola da linha B que teme os assaltos, mas também as escolas que atendem os bairros Marabaixo I, II e III, Cabralzinho e as comunidades rurais do KM-09.

Muro lateral da escola por onde os bandidos entraram

Muro lateral da escola por onde os bandidos entraram

Para tentar contornar a situação os professores da escola Helenise chamaram uma audiência pública para esse sábado, 08. Quando vão se reunir com a comunidade, Ministério Público, Polícias Civil e Militar, Conselho Tutelar, Juizado da Infância e a Secretaria Estadual de Educação (Seed). O objetivo é cobrar das autoridades providências no sentido de acabar com os assaltos.

 

Compartilhamentos