Compartilhamentos

O homem preso acusado de conduzir a lancha que matou uma criança de 10 anos no último domingo, 7, na orla de Macapá, não é habilitado, e a embarcação também está irregular. A informação é da Capitania dos Portos, que abriu inquérito para investigar as causas do acidente.

Sivaldo Martins Lima, de 39 anos, foi preso minutos depois de fugir do local do acidente. Ele estava com o barco no Canal das Pedrinhas na companhia de um adolescente de 14 anos, ao qual responsabilizou pela condução do barco no momento da tragédia. “Mas testemunhas dizem que, na verdade, era ele quem pilotava a lancha”, informou o comandante da Capitania dos Portos, Lúcio Marques. Como a prisão foi feita pela PM, o acusado não foi submetido ao exame de dosagem alcoólica. 

Alexandro não teve chance de escapar da lancha

Alexandro não teve chance de escapar da lancha. Foto: Reprodução Álbum de Família

Sivaldo ficou preso no Ciosp do Pacoval, e nesta terça-feira seria transferido para o Instituto de Administração Penitenciária (Iapen). A Capitania ainda vai investigar se ele realmente é o proprietário da embarcação que vai ficar apreendida na Capitania dos Portos em Santana. A Polícia Civil também faz uma investigação que deve terminar com o indiciamento do Sivaldo.

O acidente aconteceu no fim da manhã de domingo, na orla do Cidade Nova. Alexandro Correia de Sousa, de 10 anos, tomava banho com amigos quando percebeu a aproximação da lancha. Colegas disseram que ele ainda tentou nadar para escapar, mas não foi rápido o suficiente. O corpo do menino foi encontrado com um grande corte no rosto.  

De acordo com a Capitania dos Portos, a distância mínima entre embarcações motorizadas e área de banho é de 200 metros, e de 100 metros quando a embarcação não tiver motor. 

Compartilhamentos