Compartilhamentos

O avanço do Oceano Atlântico na costa do Amapá está destruindo a estrutura de recepção de turistas na única praia de água salgada do Estado, a praia do Goiabal, no município de Calçoene, a 460 quilômetros de Macapá. As ondas já destruíram bares, banheiros e agora ameaça mais de uma dúzia de residências.

Ondas começaram a avançar com mais violência sobre a Praia do Goiabal há cerca de 4 meses, relatam moradores

Ondas começaram a avançar com mais violência sobre a Praia do Goiabal há cerca de 4 meses, relatam moradores. Fotos: Gerson Tosta

A Praia do Goiabal é muito frequentada entre os meses de julho e dezembro, especialmente por moradores de Calçoene, Oiapoque e de cidade da Guiana Francesa.  Segundo os moradores, o fenômeno do avanço do oceano se intensificou há cerca de 4 meses.

As ondas começaram a chegar mais perto e com mais violência, atingindo uma grande estrutura construída pela prefeitura e muito utilizada nos fins de semana. Já foram destruídos bares, banheiros e malocas.  Agora 14 casas e alojamentos estão sob risco de serem destruídos, além do palco de shows.  

Casas estão ameaçadas

Casas estão ameaçadas

 

“Até agora ninguém da Defesa Civl ou de qualquer outro órgão do Estado apareceu por aqui para avaliar a situação”, queixa Gerson Tosta, assessor da Prefeitura de Calçoene.

O meteorologista do Instituto de Estudos e Pesquisas Científicas do Amapá (Iepa), Jerfferson Vilhena, diz que nesta época do ano é comum o oceano invadir mais faixas de continente.  O processo faz parte do fenômeno do “Equinócio de Inverno”. “Isso vem ocorrendo no Bailique, por exemplo, há uns três meses”,  comentou ele.

Alojamentos para turistas também podem ser destruídos

Alojamentos para turistas também podem ser destruídos

 

Mas no caso do Goiabal ainda é preciso avaliar com exatidão o que está ocorrendo. 

Compartilhamentos