Compartilhamentos

A notícia não é rara, mas vale por duas características. Primeiro pela cena inusitada que incluiu quatro suspeitos entrando no Ciosp do Pacoval carregando os objetos que tinham acabado de furtar: rodões de carro. Eles foram protagonistas num tipo de crime cada vez mais comum em Macapá, e que é incentivado por motoristas que investem milhares de reais na chamada customização de carros. O segundo diferencial nesse caso, é que no celular de um dos suspeitos a polícia encontrou uma conversa pelo aplicativo Whatsaap onde alguém encomenda o furto e dá orientações sobre a segurança da casa da vítima.

Corsa rebaixado dirigido pelos suspeitos: estofamento sujo de terra chamou a atenção

Corsa rebaixado dirigido pelos suspeitos: estofamento sujo de terra chamou a atenção

A prisão foi efetuada por volta das 3 horas da madrugada desta quarta-feira, 22, por uma equipe do 6º Batalhão da Polícia Militar, comandada pelo sargento Jorge Sá, que tinha sido avisado pelo Ciodes a respeito de um furto que acabara de ocorrer no Bairro Jesus de Nazaré. Foi o proprietário do veículo quem chamou a polícia, depois de presenciar três rapazes depenando seu carro que estava estacionado na frente de casa.

Menores envolvidos no crime. Um deles guardava os rodões em casa.

Menores envolvidos no crime. Um deles guardava os rodões em casa.

Os policiais começaram a fazer buscas nas redondezas, e se depararam com um Corsa prateado muito rebaixado. O veículo foi parado. Dentro estavam Robson Saraiva, de 18 anos, e Edivan Nascimento, da mesma idade, além de um menor de 17 anos.

Os policiais perceberam que os suspeitos estavam com uma chave de roda no banco traseiro. O estofamento também estava bem sujo de terra e com marcas de roda, segundo a PM. Depois de algumas contradições, o menor acabou confessando que as rodas estavam guardadas na casa de um quarto comparsa, também menor de idade, no Bairro Santa Rita.

Os policiais foram até o local e encontraram os rodões. E para a surpresa de todos, o menor entregou também outras duas rodas que tinham sido furtadas na mesma noite no Bairro do Pacoval.

Na chegada ao Ciosp, cada um foi obrigado a entrar carregando um rodão. No celular de Robson havia uma pista de que eles não agiam sozinhos. Havia uma conversa onde alguém encomendava dois rodões e oferecia R$ 700 como pagamento.

Robson e Edivan: encomenda por R$ 700

Robson e Edivan: encomenda por R$ 700

A mesma pessoa, na conversa, deu características da casa e alertou sobre a existência de câmeras de segurança na frente da residência. A polícia já tem o nome do suspeito, e claro, o número do telefone dele.

Os dois menores foram encaminhados à Delegacia de Investigação de Atos Infracionais (Deiai) e logo estarão de volta às ruas. Os dois maiores vão demorar mais um pouco, por que para o Iapen.

Compartilhamentos