Compartilhamentos

Cerca de 23 mil moradores da Zona Oeste de Macapá sofreram transtornos com as quedas de energia na segunda-feira, 13. No período de 16h às 22h aconteceram nove quedas na transmissão de energia na região. A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) afirma que duas pipas com rabos feitos de fitas VHS causaram curtos-circuitos na rede de alta tensão ocasionando as falhas.

De acordo com informações do Centro Operação e Distribuição da CEA, o primeiro curto ocorreu na Rodovia Duca Serra, em frente a Choperia da Lagoa, por volta das 15h. Minutos depois outra pipa com rabo de fita VHS se entrelaçou nos fios, na entrada do Bairro Marabaixo. Ocorrências como essas são responsáveis por 30% das quedas de energia no mês de julho, segundo a CEA.

As fitas de VHS usadas nos rabos são magnéticas e conduzem energia

As fitas de VHS usadas nos rabos, como este da foto, são magnéticas e conduzem energia. Fotos: Cassia Lima

“Essas fitas VHS são magnéticas e conduzem energia. O papagaio entrelaçou na rede de alta tensão e começou a conduzir energia de um cabo para o outro causando curto-circuito. Infelizmente, esse tipo de ocorrência é mais comum no mês de julho”, explicou o supervisor do Centro de Operação, Fábio Albarado.

Segundo as estatísticas da CEA, apenas no primeiro semestre de 2015 foram registradas 33 ocorrências de interrupção de energia causadas por pipas. 11 registros foram apenas no mês de junho. Os dados de julho ainda não foram contabilizados. Em 2014 foram registradas 87 ocorrências.

Fábio Albarado, da CEA: transtornos para a população e para a companhia

Fábio Albarado, da CEA: transtornos para a população e para a companhia

“Geralmente essas pipas com rabos de fitas VHS, por conduzir energia, queimam geradores fazendo com que um número maior de consumidores e bairros sejam afetados. Isso causa transtornos para o consumidor e para a companhia, que tem que realizar a manutenção da rede”, frisou o supervisor.

Infelizmente, a CEA não tem como garantir que as quedas de energia ocasionadas pelas pipas deixem de ocorrer, já que não existe uma proteção segura para os cabos de energia não serem afetados por uma brincadeira que é tradição nessa época. Mas a companhia recomenda que as pipas sejam empinadas em locais abertos, como praças e balneários.

Compartilhamentos