Compartilhamentos

Jair Zemberg –

No momento da fissura, o usuário de drogas costuma troca qualquer objeto pela chance de satisfazer a vontade. Entrega até o documento que levou pelo menos 10 anos para obter. Foi isso que chamou a atenção na prisão de um homem por tráfico de drogas no início da manhã desta quarta-feira, 26, no Bairro do Pacoval, Zona Norte de Macapá. Entre os documentos de várias viciados, o criminoso tinha uma Sejour, a carta para residência que todo imigrante ilegal na Guiana Francesa sonha em ter um dia.

A prisão ocorreu por volta das cinco horas da manhã por uma equipe do 6º Batalhão da Polícia Militar. A equipe  deu de cara com Joaquim de Souza Barcellar, de 22 anos, saindo da residência da namorada, que também seria traficante no bairro, no setor conhecido como “Baixada da Chechênia”.

Documentos e outros objetos entregues por viciados

Documentos e outros objetos entregues por viciados

Os policiais disseram que Joaquim correu ao ver a equipe, mas logo foi alcançado. Além de 19 papelotes de crack, celulares, tabletes e documentos de outras pessoas, como CPFs e RGs, a equipe encontrou a Sejour de uma brasileira. O nome aqui será ocultado para proteger a identidade da pessoa que precisa de tratamento contra a dependência de drogas.  

Joaquim saia da casa da namorada, que também é investigada por tráfico. Foto: Jair Zemberg

Joaquim saia da casa da namorada, que também é investigada por tráfico. Foto: Jair Zemberg

A Sejour é um documento bem difícil de conseguir. O governo da Guiana só concede a imigrantes que moram há mais de 10 anos na região, tenham filhos franceses, residência fixa e emprego.  Além disso, o candidato não pode ter qualquer tipo de implicação com a Justiça.

A validade do documento é de mais 10 anos, e após esse período ele poderá ser renovado por mais uma década. Só depois de 20 anos, é que o imigrante pode pedir o documento definitivo. Neste caso, a fissura foi mais forte.

Compartilhamentos