Compartilhamentos

O prefeito de Macapá, Clécio Luis (Psol), estava no Baile do Memorial Amapá quando ficou sabendo que a filha tinha virado refém de um assaltante em Belém. No fim da manhã deste domingo, 13, o prefeito falou com SelesNafes.Com a respeito das horas de angústia que viveu.

O prefeito ainda está em Belém fazendo companhia para as filhas e a ex-esposa, Mônica Dias, que está na capital paraense em tratamento de saúde. A filha que virou refém não mora em Belém, ela estava acompanhando a mãe que faz exames médicos.  A irmã dela é quem reside na capital paraense onde faz o curso de direito.

“Ela tinha descido para comprar um lanche. Dois vigilantes, um da Assembleia de Deus e outro de uma sorveteria, viram homens em um carro estacionado. Parecia que estavam aguardando alguém sair do prédio para fazer a invasão do edifício. Foi nesse momento que a Luiza e mais dois amigos desceram. Mas os vigilantes tinham avisado a polícia que chegou muito rápido”, explicou o prefeito.  

Prefeito Clécio Luís soube do assalto em um baile em Macapá

Prefeito Clécio Luís soube do assalto em um baile em Macapá

O carro com os outros bandidos escapou, deixando apenas um deles armado na portaria do prédio. Ele rendeu a filha do prefeito, os amigos dela e outros moradores.

O prefeito estava no baile em Macapá quando foi avisado, por volta das 21 horas. A filha ainda era refém. “Um vizinho que via tudo acontecer me mandava informações e tranquilizava. Senti que ia da tudo certo. O bandido não estava apontado a arma para a cabeça dela, apontava para cima”, lembrou.

O bandido se rendeu depois e duas horas e meia, após 3 exigências serem atendidas: colete balístico, presença da imprensa e da esposa, que está com um filho recém-nascido de apenas cinco dias de vida.

Na delegacia, Clécio viu o bandido. Ele tem apenas 17 anos.

Compartilhamentos