Compartilhamentos

Começam nesta sexta-feira, 18, no município de Santana, as plenárias que irão definir como serão aplicados R$ 7 milhões no Amapá no ano que vem em infraestrutura, educação, saúde, cultura, esporte e lazer. A iniciativa dos debates é da deputada federal Marcivânia Flexa (PT-AP).

Cada parlamentar tem o direito de indicar R$ 17 milhões de emendas ao orçamento geral da União. A deputada decidiu dividir R$ 7 milhões entre os municípios de Macapá e Santana, mas quem vai definir onde eles serão investidos são moradores santanenses e da Zona Norte de Macapá.

Moradores serão eleitos para acompanhar o andamento das emendas

Marcivânia Flexa: moradores serão eleitos para acompanhar o andamento das emendas. 

Em Santana serão realizadas 7 plenárias. A coordenação do projeto “Emenda Participativa” distribuiu os bairros em 3 núcleos chamados de setoriais onde os moradores irão apontar as principais necessidades de suas comunidades.

“Público alvo dessas plenárias serão as pessoas ligadas a cada setor como educação, saúde e cultura, como por exemplo, professores, movimento estudantil, e outros”, explica o coordenador da Emenda Participativa, Odair Freitas.

Uma das muitas ruas intransitáveis do Bairro Nova União. Moradores vão decidir investimentos

Uma das muitas ruas intransitáveis do Bairro Nova União. Moradores vão decidir investimentos. Fotos: SelesNafes.Com

A primeira plenária começará às 16 horas na Escola Everaldo Vasconcelos, ao lado do prédio da Prefeitura de Santana. Nessa plenária serão reunidos moradores dos bairros Paraíso, Fonte Nova, Parque das Laranjeiras, Fé em Deus, Jardim de Deus I e II, e Jardim Floresta, comunidades que respondem a um dos setoriais. O tema principal será infraestrutura.

No sábado, 19, a plenária ocorrerá em Macapá, na Escola Estadual do Brasil Novo, Zona Norte da capital. Ao todo serão cinco fins de semana consecutivos. Em cada plenária serão eleitores três moradores que irão compor um conselho de acompanhamento da tramitação das emendas até a liberação para início das obras.

Compartilhamentos