Compartilhamentos

Um protesto de detentos do Iapen na tarde desta terça-feira, 10, resultou em uma cena inusitada que causou indignação nas redes sociais. A foto acima, tirada por um agente penitenciário, é de aproximadamente 1 mil refeições sendo jogadas na lata do lixo. Era o almoço que os internos se recusaram a consumir depois de terem alguns pedidos de regalias negados pela direção do instituto.

O protesto começou depois que os detentos de um pavilhão ficaram sabendo que não poderiam ter fogões elétricos dentro das celas para fazerem as próprias refeições. Os detentos costumam criticar a qualidade e a falta de variedade do cardápio.

Em janeiro de 2014, a OAB visitou a cozinha do Iapen. Fotos: Cássia Lima

Em janeiro de 2014, a OAB visitou a cozinha do Iapen. Fotos: Cássia Lima

Além disso, eles queriam o aumento da quantidade de visitantes por detento. Hoje é permitida a entrada de 3 pessoas por dia de visita, e a solicitação era e que esse número aumentasse para 6.  Outras reivindicações teriam sido feitas, como um freezer por pavilhão, a entrada de R$ 20 por visitante e bebedouros nas celas, mas a direção não confirma esses pedidos.

Com as negativas, os detentos se recusaram a almoçar. As 1 mil marmitas, avaliadas em cerca de R$ 4,8 mil, foram descartadas na área de contêineres de um dos pavilhões. Não dava tempo de contatar uma entidade que pudesse receber os alimentos como doação.

Hoje, o Iapen tem cerca de 2,7 mil internos. A alimentação é produzida pelos próprios presos recrutados por uma empresa terceirizada. O Iapen (aliás, o contribuinte) gasta R$ 4,85 por cada refeição.

Em janeiro de 2014, uma comissão da OAB esteve no Iapen e constatou que as condições de produção dos alimentos eram satisfatórias e dentro dos padrões de higiene. 

Compartilhamentos