Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA – 

A vida realmente é marcada por encontros e desencontros. O retrato disso é a família do seu Manuel Maciel, de 72 anos, que o reencontrou depois de 40 anos. Esse reencontro aconteceu no Aeroporto de Macapá esta semana com tanta emoção que chegou a contagiar quem estava por perto. Manuel diz que agora quer unir a família e agradecer a Deus pelo presente de Natal.

Seu Manuel saiu do município de Itaubal do Piririm quando tinha 32 anos. Solteiro e sem trabalho, ele resolveu acompanhar um amigo para tentar a vida em Altamira, no Pará. Mas quando chegou lá, o amigo sumiu e ele ficou sozinho sem saber o que fazer.

Então, pegou uma carona e foi parar em Manaus, no Amazonas, onde trabalhou em uma empreiteira e ajudou até a construir uma cidade inteira.

Manuel e Raimundo se encontram no aeroporto de Macapá depois de 40 anos. Fotos: família e André Silva

Manuel e Raimundo se encontram no aeroporto de Macapá depois de 40 anos. Fotos: família e André Silva

No Amazonas, ele casou e formou a própria família, mas nunca perdeu a esperança reencontrar os irmãos que ficaram em Itaubal do Piririm. Em uma postagem no Facebook, uma de suas netas no Amazonas publicou a vontade que o avô tinha de rever os parentes no Amapá.

Um dos amigos dela no Amapá viu a postagem e resolveu ajudar, mas o que ele não sabia era que se tratava do seu tio avô desaparecido há 40 anos.

Manuel Maciel é o caçula de três irmãos. Ele e o seu Raimundo Maciel são os únicos vivos. Ele casou-se com uma manauara e teve sete filhos e vários netos e bisnetos. Curiosamente, o irmão dele também tem sete filhos e vários netos, bisnetos e até tataranetos.

Outros parentes aproveitam para matar a saudade

Outros parentes aproveitam para matar a saudade

“Quem viu a publicação foi o sobrinho neto dele. Então começou a conversar com a Wanda sem saber que ela era prima dele. Ele trouxe a foto pra gente ver e logo deu pra perceber que era realmente o irmão do papai. Eles são muito parecidos. Depois foi só questão de confirmar o nome da mãe deles e pronto”, disse emocionada dona Raimunda Gonçalves dos Santos, sobrinha do seu Manuel.

Seu Manuel disse que tentou voltar várias vezes, mas a esposa não queria.

“Quando eu cheguei em Manaus, fui trabalhar em uma firma de construção civil. De lá da capital nós fomos para São Gabriel para construir a cidade. Não tinha nada, a não ser uma igreja católica e um quartel do Exército. A cidade toda, desde de estrada até os primeiros prédios, fomos nós que construímos. Eu até tentei voltar mas não consegui convencer a mulher”, contou.

Manuel e Raimundo: nunca vamos no separar

Manuel e Raimundo: nunca vamos no separar

Hoje seu Manuel é aposentado, e cuida de uma roça numa área rural de São Gabriel, cidade que ajudou a construir. O que ele mais quer é unir a família e nunca mais se perder do seu irmão.

Família reunida: um presente de Natal

Família reunida: um presente de Natal

Compartilhamentos