Compartilhamentos

DA REDAÇÃO 

Um homem de 71 anos será indiciado pela Delegacia de Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) por maus-tratos a uma cadela. Ele é acusado de fazer sexo com o animal, numa prática conhecida como zoofilia, comportamento considerado um distúrbio.  O caso ocorreu no Bairro Parque dos Buritis, Zona Norte de Macapá. O animal ficou bastante ferido na região genital e está sob os cuidados da ONG Unidade de Proteção Animal Costelinha (Upac).

Palmírio Morais já tinha sido conduzido pela polícia depois que vizinhos viram o sofrimento do cachorro. Na época, ele acabou sendo liberado. Nesta terça-feira, 12, no entanto, o delegado Sávio Pinto ficou sabendo do caso e decidiu ir até o local acompanhado de voluntários da ONG.

Cadela terá que passar por uma cirurgia na vulva. Fotos cedidas pela ONG Anos Protetores

Cadela terá que passar por uma cirurgia na vulva. Fotos cedidas pela ONG Upac

O acusado negou que estivesse fazendo sexo com a cadela, mas populares confirmaram que o viram praticando o ato. A cadela foi encontrada muito machucada.

“Ela está internada em uma clínica e terá que passar por uma cirurgia plástica na vulva”, explicou Victor Hugo, um dos voluntários da ONG.

Palmírio será indiciado e o caso será encaminhado para a Justiça. “Ele já responde a uma acusação de estupro de uma menina de 11 anos. Chegou a passar inclusive umas semanas no Iapen”, informou o delegado.

Cadela foi resgatada pelos Anjos Protetores: primeiro caso de zoofilia

Cadela foi resgatada pela Upca: primeiro caso de zoofilia

A cadela, que ganhou o nome de Jujuba, já tem pessoas interessadas em adotá-la.

“Este é o primeiro caso de zoofilia que temos  conhecimento”, conclui Hugo.

Compartilhamentos