Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Uma das duas balsas que fazem a travessia do Rio Matapi para o município de Mazagão está com problemas mecânicos. Motoristas e moradores do município passam até três horas na fila para fazer a travessia. A previsão da Secretaria de Transportes do Amapá (Setrap) é que embarcação volte a funcionar ainda neste sábado, 2. Na semana passada, uma outra balsa havia parado por falta de combustível.

O taxista Rodrigo Ramos, de 29 anos, já estava à espera para embarcar quando foi abordado pela equipe do site SELESNAFES.COM às 17h20min. Ele conta que estava na fila desde às 14h. Muito cansado, ele disse que um problema como esse causa muito transtorno e prejuízo.

Taxista Rodrigo Ramos: "quantas viagens eu já não perdi"

Taxista Rodrigo Ramos: “quantas viagens eu já não perdi”

“Eu não faço esse percurso sempre, mas quando faço não perco tanto tempo assim na fila. Já fazem quase três horas que eu estou esperando. Com certeza tem gente há mais tempo que eu aqui. Isso só prejudica meu negócio. Enquanto estou parado aqui, quantas viagens já não perdi?”. disse o taxista.

Sílvio Bispo da Silva, de 23 anos, é controlador de praga e resolveu dar uma carona para o colega que mora em Mazagão, mas disse estar arrependido da decisão.

Sílvio Bispo da Silva deu carona para um amigo e se arrependeu. Fotos: André Silva

Sílvio Bispo da Silva deu carona para um amigo e se arrependeu. Fotos: André Silva

“Estou aqui há mais de duas horas. Só uma balsa para fazer a travessia de tantos carros só da nisso. Eu ainda tenho compromisso para resolver tanto em Mazagão quanto em Macapá e uma situação como essa só causa transtorno”, comenta indignado o motorista.

Com apenas uma balsa funcionando, travessia ficou ainda mais lenta

Com apenas uma balsa funcionando, travessia ficou ainda mais lenta

De acordo com Setrap, a manutenção na embarcação consiste em reparos na estrutura interna e externa para garantir a segurança de usuários do transporte. O órgãos lembra que as balsas são utilizadas diariamente, por isso, precisam obedecer todos os padrões exigidos pela Marinha do Brasil.

Compartilhamentos