Compartilhamentos

DA REDAÇĀO

O site SELESNAFES.COM noticiou na quarta-feira, 27, a interdição da obra da praça Hercílio Crescêncio, em Oiapoque. A medida teria sido tomada pela prefeitura após o desabamento de um muro, durante as fortes chuvas que caem na região. Em nota, a empresa Global Serviços, construtora responsável pela obra, se manifestou afirmando que o embargo não tem relação com o desabamento do muro.

Não há previsão de quando a obra será retomada

Não há previsão de quando a obra será retomada. Fotos: Humberto Baía

A prefeitura de Oiapoque embargou a obra da praça Hercílio Crescêncio por um problema de alvará. O documento venceu e não foi renovado a tempo de impedir o embargo, ressalta a Global Serviços.

“Em relação ao muro, o mesmo veio abaixo na manhã de segunda-feira, dia 25 de abril, enquanto o embargo se deu no dia 20, ou seja, nada tem a ver a interdição com o muro. Tanto se comprova a informação que não havia nenhum de nossos colaboradores no canteiro de obras”, destacou a nota.

Obra iniciou em 2010 e ainda nāo foi concluída

Obra iniciou em 2010 e ainda nāo foi concluída

A construtora informou ainda que o muro foi feito pela empresa anterior, e que seus engenheiros nāo tiveram acesso ao material utilizado e nem sobre as condições da manufatura do mesmo. A nota afirma que a empresa está providenciando a renovaçāo do alvará.

“Ressaltamos que estamos providenciando a renovação do alvará o mais rápido possível, afim de retomarmos a obra e entregarmos à população oiapoquense a tão sonhada praça Hercílio Crescêncio, com materiais de qualidade e condições de segurança, conforme estabelecido pela lei” finaliza.

A obra foi lançada duas vezes: uma no governo Pedro Paulo Dias (PP), a partir de abril de 2010, e no governo Camilo Capiberibe (PSB), que iniciou e depois paralisou a obra. O governo atual fez uma nova licitação e retomou a construção.

Compartilhamentos