Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A deputada federal Jozi Araújo (PTN) e outras duas pessoas vão responder por fraude em licitação e podem ter de devolver aproximadamente R$ 800 mil aos cofres públicos. A ação foi ajuizada pelo Ministério Público Federal no Amapá (MPF-AP) e Advocacia Geral da União (AGU) nessa quarta-feira, 8, a Justiça Federal.

A deputada é acusada de fraudar licitação para beneficiar a Cooperativa de Transporte do Amapá (Transcoop) quando era gestora do Departamento Regional do Sesi/Senai do Amapá, em 2013. Também vão responder Keuliciane Morais Baia e Eduardo da Costa Nunes Barreto, presidente da Transcoop. Jozi teria desviado aproximadamente R$ 800 mil.

O MPF e a Controladoria Geral da União (CGU) pedem a condenação dos envolvidos por improbidade administrativa e a devolução do dinheiro desviado em valores corrigidos. Na esfera criminal, um inquérito policial apura possível conduta criminosa da deputada federal.

A ação teve base no relatório da CGU que constatou irregularidades no processo licitatório para locação de veículos para atender às demandas do Sesi e do Senai do Amapá. Segundo apurou o órgão, apenas no primeiro semestre de 2013, a Transcoop recebeu duas vezes pelo mesmo serviço, o que custou aos cofres públicos R$ 782.900 mil.

Compartilhamentos