Compartilhamentos

SELES NAFES

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi o único parlamentar convidado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para participar do evento que vai discutir os efeitos das investigações de casos de corrupção e o futuro do sistema judiciário brasileiro.

O encontro será realizado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNPM) entre os dias 27 e 28 deste mês em Brasília, com apoio do Supremo Tribunal Federal (STF). A ideia é avaliar os efeitos no Brasil dos casos de corrupção que estão sendo investigados pelo Ministério Público e Polícia Federal.

Convite de Rodrigo Janot para Randolfe Rodrigues. Foto: Reprodução

Convite de Rodrigo Janot para Randolfe Rodrigues. Foto: Reprodução

A proposta é tomar como parâmetro o que ocorreu na Itália, berço do caso ‘Mãos Limpas’, investigação de grande envergadura que sacudiu o sistema político daquele país com prisões nos anos de 1990.

O caso foi bem parecido com a Lava-Jato. Empresas pagavam propinas para ter contratos com estatais. Campanhas eleitorais também eram patrocinadas pelo esquema.

Di Pietro, promotor na Mani Pulite, o caso 'Mãos Limpas'. Foto: Folhape

Di Pietro, promotor na ‘Mani Pulite’, ou Caso ‘Mãos Limpas’. Foto: Folhape

Randolfe Rodrigues vai explanar no painel ‘Reações legislativas em razões dos grandes casos criminais’.

“As duas operações, Mãos Limpas e a Lava-Jato, mudaram a vida de dois países. Só que na Itália o final não foi feliz. Teve assassinato de procurador e retrocesso nas atribuições do Ministério Público. A grande ensinamento desse debate é não se ter no Brasil o mesmo desfecho da Itália”, ponderou o senador.

Compartilhamentos