Compartilhamentos

VALDEÍ BALIEIRO

Paratletas amapaenses voltaram de competição nacional de atletismo com um peso extra na bagagem. Todos os três representantes conquistaram medalhas nas categorias em que disputaram. Essa foi a primeira etapa do Circuito Caixa de Atletismo que faz parte do Campeonato Brasileiro.

Os paratletas são da Associação Amapaense de Esportes para Pessoas com Deficiência (AAEPED). De acordo com o presidente da associação, professor Marlon Gomes, foram uma medalha ouro, quatro de pratas e uma de bronze conquistados na etapa disputada em São Paulo, nesse fim de semana.

Thalia Pereira faturou duas pratas. Fotos: Divulgação

Thalia Pereira faturou duas pratas. Fotos: Divulgação

“Todas essas conquistas se devem ao grande trabalho que os próprios atletas estão desenvolvendo com muito esforço e sempre focados em seus objetivos. Essas seis medalhas são os frutos desse trabalho”, comenta o professor Marlon.

A paratleta Marcia Oliveira conquistou ouro no lançamento de dardo, prata no arremesso de peso e bronze no lançamento de disco, todas as conquistas foram na classe F11. Yndiraima Alessandra Cunha faturou prata no lançamento de disco na classe F54.

Yndiraima Alessandra Cunha conquistou prata no lançamento de disco

Yndiraima Alessandra Cunha conquistou prata no lançamento de disco

O destaque da competição foi a paratleta Thalia Pereira. Ela, que já havia conquistado o recorde nacional na prova de arremesso de disco, conseguiu bater a própria marca e agora sonha com a possibilidade de ser convocada para a seleção brasileira que irá disputar as Paraolimpíadas no Rio de Janeiro. Thalia faturou prata nas categorias arremesso de peso e arremesso de disco classe F41.

“Thalia vem demonstrando seu grande talento e potencial. Ela hoje é nossa atleta com grande possibilidade se ser convocada para disputar as Paraolimpíadas, mas para que isso possa acontecer ela deve continuar disputando competições e, assim, subir cada vez mais no ranking nacional de sua categoria”, explica Marlon.

A paratleta já está classificada para disputar o Parapan de 2017, mas antes tem a segunda etapa do Circuito no próximo dia 15 de julho, em São Paulo. O professor Marlon relata que necessita muito de patrocínio para levar três atletas para disputar a competição.

“Todos eles têm grandes resultados e merecem muito toda chance do mundo para irem mais longe. Já são conhecidos, como é o caso de Thalia, e agora precisam de apoio. Precisamos de quatro passagens e já estamos correndo contra o tempo. Será que essa equipe campeã não merece apoio?”, questionou o professor.

Compartilhamentos