Compartilhamentos

JÚLIO MIRAGAIA

Somente nos últimos 20 dias, 20 hidrômetros foram furtados em Macapá. As polícias Civil e Militar estão trabalhando em conjunto com a Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) no combate e nas investigações do surrupio dos aparelhos.

As ocorrências têm sido, geralmente, nos bairros centrais, como Centro e Santa Rita. A ausência dos hidrômetros resulta em vazamentos de água nos locais.

Polícia Civil investiga o caso

Caesa orienta que quem tiver o hidrômetro furtado deve fazer o registro da ocorrência em uma delegacia de polícia

“A Polícia Militar está trabalhando em conjunto, fazendo rondas. Já a Civil toma conta das investigações para identificar quem está furtando o material”, informou Mauro Magalhães, gerente comercial da Caesa.

Uma das possíveis causas que estariam motivando os furtos dos hidrômetros seria que o material que é utilizado na fabricação do aparelho possui algum valor comercial.

 “Aquele que furta, acha que o hidrômetro é feito com algum metal que tenha valor para venda, porém, os hidrômetros da Caesa são feitos de latão ou de plástico e possuem a única finalidade de aferir água”, explicou Magalhães.

A Caesa orienta que quem tiver o hidrômetro furtado deve fazer o registro da ocorrência em uma delegacia de polícia e levar cópia do boletim para o Serviço de Atendimento ao Público da Caesa. Assim, o usuário poderá solicitar a reinstalação do novo hidrômetro e a reativação do fornecimento de água.

Compartilhamentos