Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no Amapá anunciou que vai liberar parcialmente, nesta quarta-feira, 28, o tráfego na ponte sobre o Rio Maracá. A reconstrução, depois do ato de vandalismo que terminou com a destruição da ponte, custou R$ 500 mil.

“O nosso objetivo hoje será passar pela ponte as equipes da Polícia Federal e do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AP) que farão a eleição no Jari (no próximo domingo, 2)”, informou o diretor do Dnit, Fábio Vilarinho.

A ponte foi parcialmente destruída e teve sua segurança estrutural comprometida durante protesto de moradores da comunidade do Maracá no último dia 14. Eles reivindicavam a normalização do abastecimento de combustível que movimenta os geradores de energia.

O ato terminou em confronto com policiais rodoviários federais que foram agredidos ao tentar impedir que a ponte fosse incendiada. Houve revide com armas não letais.

Na última segunda-feira, 26, policiais federais prenderam três moradores considerados os mentores do ato de vandalismo que custou meio milhão de reais e isolou o Sul do Amapá. Os quatro acusados continuam sendo procurados.

Nesta quinta-feira, 29, o tráfego será liberado na ponte para o trânsito normal, mas a movimentação será monitorada pelo Dnit.

Compartilhamentos