Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O Ministério Público Eleitoral (MPE) da 7ª Zona (Laranjal do Jari) quer coibir a compra de votos com o uso de tickets, vales e cupons emitidos por postos de combustível e supermercados. Foram ajuizadas duas ações cautelares essa semana, no dia 27, com esse objetivo.

O MPE solicitou que os postos de combustível, na semana de véspera das eleições, informem os dados tanto dos compradores quanto dos portadores de tickets-combustível. Foi pedido ainda a identificação de todos que comprem combustível dessa forma.

A medida preventiva é inspirada em uma ação promovida pelo promotor Eleitoral Vinícius Gahyva Martins, em Mato Grosso, e visa evitar a utilização de vales como moeda de compra de votos.

Na outra ação cautelar, o promotor eleitoral Rodrigo Assis requer a aplicação de providência semelhante em relação aos três maiores supermercados da cidade. Foi determinado o registro dos compradores e portadores de vales, assim como dos compradores de cestas básicas em quantidade superior a dez.

O juiz eleitoral Zeeber Lopes Ferreira realizou, a pedido do MPE, duas audiências de justificação no dia 27 com a presença dos representantes das empresas envolvidas, para que se fizesse o devido esclarecimento das ações, assim como o alerta para a vedação de doação por pessoas jurídicas.

Compartilhamentos