Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Agentes da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) do Amapá prenderam no município de Ferreira Gomes, a 135 quilômetros de Macapá, na manhã desta quarta-feira, 5, o lavador de carros acusado de matar a ex-esposa no Bairro Novo Horizonte, Zona Norte de Macapá. Ele estava escondido no sítio de um irmão.

A prisão de Aldo Guedes Barbosa Júnior, de 33 anos, foi solicitada pela DECCM e decretada pelo juiz João Guilherme Lages, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, no dia 26 de setembro.

Aldo Guedes estava dormindo quando os policiais chegaram ao sítio. Fotos: Olho de Boto

Aldo Guedes estava dormindo quando os policiais chegaram ao sítio. Fotos: Olho de Boto

Contudo, o mandado não podia ser cumprido por causa do período eleitoral, que veda prisões que não sejam flagrantes. Esse período vai de 5 dias antes da eleição a 48 horas depois do pleito.

Aldo Guedes Barbosa Júnior é o principal suspeito de matar a ex-mulher Ilcilene Carla Silva dos Santos, de 30 anos, no dia 13 de setembro. Ela já havia denunciado o ex-marido por agressões e ameaças.

Prisão foi decretada pela juiz João Guilherme Lages

Prisão foi decretada pela juiz João Guilherme Lages

Uma medida protetiva chegou a ser expedida pela Justiça, mas isso não impediu o acusado de continuar perseguindo a vítima. A família dela diz que no dia do crime o celular de Ilcilene Carla recebeu quase 100 ligações de Aldo Guedes. O acusado que não aceitava o fim do relacionamento de 16 anos que gerou dois filhos.

A polícia afirma que uma série de indícios e testemunhas  colocam ele na cena do crime no dia em que a vítima foi encontrada morta a facadas. O lavador chegou a prestar depoimento dias depois onde negou o crime, e foi liberado após a Justiça negar primeiro pedido de prisão preventiva.

Aldo Guedes seguirá ainda nesta quara-feira, 5, para o Iapen

Aldo Guedes seguirá ainda nesta quara-feira, 5, para o Iapen

Nesta quarta-feira, ele estava dormindo na casa do irmão, em Ferreira Gomes, quando os policiais chegaram, por volta das 6h. Os agentes já sabiam onde ele estava, mas tiveram que aguardar o término do prazo eleitoral para efetuar a prisão.

“Ele disse que já esperava pela prisão”, comentou um agente que participou da operação sobre a única reação que o acusado teve ao receber a voz de prisão.

Ilcilene foi morta a facadas

Ilcilene foi morta a facadas

Aldo Guedes foi apresentado na Delegacia de Crimes Contra a Mulher por volta das 7h30min, e foi encaminhado para exame de corpo de delito na Polícia Técnica do Amapá (Politec). Ainda hoje ele deverá seguir para o Iapen.

Compartilhamentos