Compartilhe

ANDRÉ SILVA

As cartas das crianças que participam do Natal dos Correios já estão disponíveis para adoção. São quase duas mil cartas de crianças carentes de vários bairros de Macapá.

A campanha começou no dia 11 deste mês e o prazo para envio de correspondências vai até o dia 21.

Crianças de diferentes partes de Macapá pedem presente para o Papai Noel. Fotos: André Silva

Crianças de diferentes partes de Macapá pedem presente para o Papai Noel. Fotos: André Silva

Mais de duas mil cartas já foram entregues e aguardam a doação de voluntários

Mais de duas mil cartas já foram entregues e aguardam a doação de voluntários

No ano passado, foram mais de cinco mil cartas para o Papai Noel. Entre os pedidos estão desde os mais simples até os mais complexos.

Em uma das cartas, que é escrita pela irmã de uma menina de 9 anos que sofre de anemia falciforme, ela pede que o Papai Noel traga para a irmã um triciclo. Leia a carta abaixo.

Criança de 9 anos pede presente para irmã, que está doente. Fotos; André Silva

Criança de 9 anos pede presente para irmã, que está doente.

O pedido da menina está disponível para adoção até o dia 10 e dezembro, assim como as outras milhares de cartas.

A campanha que acontece todos os anos prioriza as crianças carentes, em situação de vulnerabilidade social e escolas publicas do município.

img-20161117-wa0040

Diretor dos Correios no Amapá, Erderson Mendes: prioridade são crianças carentes

Esse ano, seis escolas participaram e ao todo foram enviadas mais de 1.300 cartas. A seletiva das escolas foi feita por meio das secretarias de educação municipal e estadual.

“Iniciamos no dia 11, mas já havíamos feito a seletiva junto as secretarias das escolas que iriam participar da campanha. Damos prioridade para crianças carentes. Um dos objetivos da campanha é ampliar a redação e o endereçamento correto nas correspondências”, explicou o diretor dos Correios no Amapá, Erderson Mendes.

Interessados em adotar a carta de uma criança devem procurar agência dos Correios

Interessados em adotar a carta de uma criança devem procurar agência dos Correios

Todas as cartas passam por uma processo de avaliação. Nelas são observadas a idade da criança, a situação social dela e o endereço  correto, contendo inclusive o Cep. As cartas que não atendem esse critério são eliminadas do processo.

“Sem esse critério, é impossível fazer a adoção da carta. Ano passado cadastramos mais de cinco mil cartas e esse ano já estamos chegando a duas mil. A cada ano que passa mais pessoas aderem ao programa”, comemorou Paulo Baia, coordenador regional da campanha.

Paulo Baia, coordenador regional da campanha: projeto cresce a cada ano

Paulo Baia, coordenador regional da campanha: projeto cresce a cada ano

Compartilhe