Compartilhamentos

SELES NAFES

Nos últimos dias o que não faltado é trabalho no Procon do Amapá, tudo por conta dos empréstimos de servidores que foram descontados com o pagamento do 13º salário. Há dezenas de denúncias de cobrança abusiva de juros e multas, que em alguns casos consumiram todo o 13º e até 100% do salário de outubro.

Até a última segunda-feira, 21, o Procon já havia montado 51 processos com reclamações de servidores, e outras dezenas devem chegar até o fim desta terça-feira, 22, e nos próximos dias.

Na avaliação do Procon, há fortes indícios de abusos, e já ficou claro que os bancos, especialmente o maior deles, o Banco do Brasil, não honraram o acordo com o governo do Estado. 

O BB tinha aceitado não cobrar multas e juros, já que a primeira parcela do 13º salário não havia sido antecipada em julho pelo governo do Estado como o de costume.

“Tem cliente que teve retido o 13º salário, o que é natural, mas pegou 100% do salário e até pensão alimentícia foi afetada”, comentou o presidente do Procon, Eliton Franco.

Na segunda-feira, 21, o Procon se reuniu com representantes do Banco do Brasil e do Ministério Público do Estado. O banco se comprometeu em fazer um mutirão de atendimentos dos servidores junto com o Procon para apurar caso a caso.

Ainda não há uma data definida para a realização do mutirão. O Banco do Brasil ficou de formar uma equipe de funcionários para atuar no atendimento. O Procon pediu pressa, e deve receber uma resposta ainda nesta terça. 

Compartilhamentos