Compartilhamentos

De Santana, FERNANDO SANTOS

Para marcar a semana do Natal, na tarde desta quarta-feira, 21, foi realizada uma programação especial para centenas de crianças da comunidade do Ambrósio, Área Portuária do município de Santana.

A tarde foi animada com diversas brincadeiras sob o comando do palhaço “Batatinha”, que é conhecido na região. Mas o que deixou a criançada encantada e bastante feliz, foi a presença do “bom velhinho”, o Papai Noel de Santana.

Brinquedos foram distribuídos para crianças do bairro. Fotos: Fernando Santos

Brinquedos foram distribuídos para crianças do bairro. Fotos: Fernando Santos

Polícia Militar também participou da ação. Fotos: Fernando Santos

Polícia Militar também participou da ação.

“Fiquei muito feliz. Eu ganhei uma boneca do Papai Noel”, disse entusiasmada, Daniela Lima, de 7 anos.

Mais de 200 brinquedos foram distribuídos para crianças da comunidade. Houve também pula-pula e lanche.

“Essa é a segunda vez que a gente realiza ação igual a essa na nossa comunidade. A primeira foi no dia das crianças. A gente arrecada os brinquedos com amigos, familiares e alguns políticos. Aproveito a oportunidade para agradecer todas as pessoas que nos ajudaram”, ressaltou Raynara Souza, idealizadora do evento.

Pula-pula divertiu criançada

Pula-pula divertiu criançada

Maiara Souza, que também faz parte da organização, diz que para conseguir realizar um evento como esse é necessário ter muita força de vontade, mas que ao final, o resultado é gratificante.

“Não tem dinheiro que pague ver as crianças da nossa comunidade com sorriso no rosto”, garantiu Maiara.

Comunidade ganha com crianças se divertindo

Francisco da Silva: Comunidade ganha com crianças se divertindo

Mais de 5 mil famílias vivem na comunidade do Ambrósio, que é conhecida em Santana por ser uma região vulnerável. Pensando nisso, policiais do 4º Batalhão da Polícia Militar, também participaram do evento e, fizeram uma sessão de fotos com as crianças. Todas ficaram felizes.

“A tarde foi muito boa. Todos ajudaram e se envolveram. Só quem ganha com isso, é a comunidade”, disse Francisco da Silva, comerciante.

Compartilhamentos