Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Demorou, mas a tradição se cumpre (infelizmente) mais uma vez. É só iniciar o período chuvoso para recomeçarem também as ocorrências de falta de energia em Macapá e nos demais municípios. Foi assim o fim de semana e nesta segunda-feira, 19.

Desde a última sexta-feira, 16, que as interrupções voltaram a ocorrer depois de alguns meses de relativa normalidade no fornecimento de energia. Bairros como Buritizal e Congós, ambos na Zona Sul, estão entre os mais atingidos sempre que chove.

E a semana não começou diferente, desta vez na Zona Oeste da capital, zona rural, seis municípios e mais os bairros do Beirol, Pacoval, Buritizal, Santa Rita e Distrito da Fazendinha.

Na Zona Oeste, que compreende os bairros Marabaixo I, II e II, e Goiabal, a energia foi embora várias vezes durante a madrugada, e às 5h a interrupção foi mais prolongada, durando até às 9h.

Os municípios atingidos foram: Porto Grande, Ferreira Gomes, Cutias do Araguari, Mazagão, Amapá, Itaubal do Piririm, e São Joaquim do Pacuí, na zona rural de Macapá. Em cidades do interior como Porto Grande, por exemplo, o apagão começou no início da madrugada.

Por volta da 1h, policiais militares chamados para atender uma ocorrência de homicídio tiveram dificuldades para trabalhar e encontrar os criminosos. Testemunhas afirmaram que não foi possível ver quem foram os agressores que mataram um jovem de 26 anos porque não havia energia elétrica no município. 

A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), que acaba de conseguir autorização da Aneel para reajustar em 45% a tarifa de energia no Amapá, informou que os apagões ocorreram em função do rompimento de cabos durante a chuva, que aliás, só deve dar uma trégua a partir de julho do ano que vem.

Pelo visto, vai ser um longo, e tenebroso inverno, sem falar da conta de energia mais cara.

Compartilhamentos