Compartilhamentos

SELES NAFES

“Naquele momento meu mundo acabou”, lembra a dona de casa Renata Mendes, de 24 anos. Não era para menos. O filho dela, de apenas 1 ano e 8 meses, tinha acabado de ser arrastado por um carro conduzido por um motorista embriagado. Foi um milagre.

O acidente ocorreu por volta das 19h desta sexta-feira, 24, no Bairro Central do município de Porto Grande, a 105 quilômetros de Macapá. Renata Mendes, o marido e o filho voltavam da casa da sogra dela.

O pai ia empurrando o filho em um carrinho. A família seguia normalmente pelo canto da rua quando percebeu que uma Saveiro que havia acabado de dobrar a esquina se aproximava com velocidade. De repente, o carro passou para a contra mão.

Criança estava sendo empurrada pelo pai no carrinho

Criança estava sendo empurrada pelo pai no carrinho

“Quando vimos que ele estava vindo fomos para a direção do mato, mas não teve jeito”, lembra a mãe, que está quase sem voz por causa dos gritos de desespero.

O carro desgovernado passou por cima da criança, que ficou entre as rodas do veículo. Em seguida, o menino foi arrastado por vários metros junto com o carrinho. A Saveiro voltou para a rua e foi embora como se nada tivesse acontecido. A cena era chocante. O carrinho da criança ficou completamente destruído, e o menino estava no chão ferido.

“Meu mundo acabou. Eu via ele morto, mas foi aí que ele chorou e peguei ele. Pensei que ele tinha morrido. Fez um barulho enorme”, recorda a mãe ainda emocionada.

O infrator foi perseguido por outro motorista que viu tudo acontecer. Na outra esquina o carro foi fechado e a Polícia Militar chamada. O motorista foi submetido a exame que constatou a embriaguez. Ele foi preso em flagrante, e disse aos policiais que não tinha percebido o atropelamento e nem visto a família.

Escoriações na testa...

Escoriações na testa…

...braço...

…braço…

...e pés

…e pés

“Depois, na delegacia, chegou um rapaz que disse que ele estava fugindo de outro acidente onde tinha batido um táxi”, acrescentou Renata Mendes, que nasceu e cresceu em Porto Grande, e disse nunca ter visto o motorista por aquelas bandas.

O menino foi levado às pressas para o Hospital de Porto Grande. Incrivelmente, ele teve poucas escoriações pelo corpo e cabeça. Nada grave.

“Já está sorrindo e brincando. Deus é maravilhoso mesmo”.

Compartilhamentos