Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Uma rixa iniciada por um desentendimento em um jogo de baralho pode ter levado à morte de um jovem trabalhador, na manhã deste sábado, 11, na Rua Salvador Diniz, Bairro Provedor 2, em Santana, a 17 quilômetros de Macapá.

Por volta de 11h30, Andrei Oliveira da Silva, de 23 anos, foi encontrado por vizinhos pedindo socorro num beco, na Travessa 20, ao lado de uma igreja evangélica. Ele foi atingido por duas facadas, uma no peito esquerdo e outra no braço, e não resistiu aos ferimentos. Próximo do seu corpo havia um terçado, mas ninguém sabe dizer se a arma branca foi utilizada no crime.

Corpo do jovem foi encontrado ao lado de igreja. Fotos: Olho de Boto

Corpo do jovem foi encontrado ao lado de igreja. Fotos: Olho de Boto

Populares relataram que, após praticarem o crime, os dois suspeitos fugiram em uma bicicleta.

Militares do 4º Batalhão da Polícia Militar (4°BPM) fizeram incursões pelo local, mas até o presente momento os autores do crime não foram presos.

Ex-esposa de Andrei olha o corpo do rapaz

Ex-esposa de Andrei olha o corpo do rapaz

Rixa

Segundo uma testemunha que pediu para não ser identificada, a vítima participou de uma partida de baralho no domingo passado, dia 5, na companhia de algumas pessoas, na casa de um homem conhecido como “Macarrão”, onde também funciona um estabelecimento comercial. Nesse lugar é que teriam começado as desavenças de Andrei com os principais suspeitos do crime, dois homens conhecidos como Josué e Jorge.

“Quando outro rapaz acabou batendo a partida do jogo iniciou uma discussão, sendo que Josué e Jorge não ficaram satisfeitos com o resultado e acabaram discutindo com Andrei e aí houve um atrito, uma discussão generalizada e após isso a vítima não quis mais frequentar a residência”, disse a testemunha.

Após a briga, Josué teria passado a ameaçar Andrei.

Assassinos teriam fugido em uma bicicleta do local. Um terçado foi encontrado próximo do corpo

Assassinos teriam fugido em uma bicicleta do local. Um terçado foi encontrado próximo do corpo

Andrei Oliveira da Silva, conhecido na vizinhança como “Bolão” trabalhava como ajudante de pedreiro e, de acordo com relato de vizinhos, era uma pessoa batalhadora, que não se envolvia em brigas e que sempre estava disposto a ajudar. Ele era morador da invasão Monte das Oliveiras e deixou um filho pequeno.

Ele não jogava muito baralho, não gostava muito. Trabalhava com meu marido de ajudante de pedreiro, um rapaz trabalhador. Ele ia lá em casa e sempre me contava o que fazia na rua e ainda foi lá em casa ontem, emprestar uma bicicleta pra ir deixar na casa da ex-mulher um dinheiro pro filho. Foi um choque o que aconteceu agora. Gostava muito dele, ajudava no que podia”, lamentou emocionada a moradora Eunice dos Santos.

Compartilhamentos