Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O acusado de arrombar e furtar uma lanchonete no Bairro São Lázaro, na zona norte de Macapá, foi localizado e amarrado pelo dono do estabelecimento. O furto havia ocorrido na madrugada de domingo, 23.

O proprietário da lanchonete caminhava pela rotatória do Bairro Renascer quando avistou o homem identificado como Reginaldo Barros da Silva, 36 anos.

“Os noiados do terminal rodoviário disseram que ele estava oferecendo os objetos furtados. Ele arrombou a porta do trailler, e levou microonda, estufa, chapa, maleta com furadeira, ferramentas, sacolas com 10 lâmpadas novas e salgadinhos. Até descartáveis ele levou. Se tivesse arrombado a porta toda tinha levado o freezer e as cadeiras”, comentou o proprietário da lanchonete.

Com a ajuda de populares, o comerciante conseguiu imobilizar o suspeito que teve as mãos amarradas para trás.

Em seguida, o acusado foi conduzido em carro particular pelo comerciante até o Ciosp do Pacoval. Lá, ele recebeu o apoio de uma equipe do 6°Batalhão da PM.

Reginaldo Barros já algemado pela PM no Ciosp. Fotos: Olho de Boto

Além do ladrão, um homem acusado de tráfico foi preso

Com informações repassadas pelo acusado, policiais do 6° e do 2º BPM iniciaram diligências em uma área de pontes conhecida como “Ponte da Preta”.

Os policiais foram até uma casa apontada pelo ladrão onde ele teria deixado parte dos objetos furtados. Durante a revista no imóvel a polícia se deparou com uma situação que não era esperada.

“Nos deparamos com uma situação inusitada, é uma boca de fumo. Na abordagem encontramos seis porções de crack e outros materiais utilizados para embalagem e fabricação de drogas, como uma pastilha de cloro”, comentou o aspirante Carlos Moraes, do 6º BPM.

O forno microondas furtado da lanchonete foi encontrado, mas outros objetos não foram localizados. Um rapaz que estava na casa,  identificado como Saulo Brito, de 28 anos, foi conduzido por estar com as drogas. Ele se manteve em silêncio durante a apresentação na delegacia.

Crack, material de embalagem e fabricação

A PM acredita que o local funciona como uma boca de fumo, e que os objetos furtados na lanchonete foram trocados por droga.

“Isso é muito comum de acontecer. As pessoas vão lá trocar objetos furtados para usar drogas”, concluiu o aspirante. 

 

Compartilhamentos