Compartilhamentos

VALDEÍ BALIEIRO

Um projeto social que pretende atender crianças de baixa renda e em vulnerabilidade social iniciou sua segunda edição no último sábado (20). Chamado de “Realize”, o projeto visa sanar dificuldades de crianças carentes com deveres escolares, além de resgatá-las do meio da criminalidade e desenvolver trabalhos sociais.

Ao todo são ofertadas 11 oficinas, dentre elas as de leitura, matemática, ecologia, letrinhas, inglês e até uma de moda chamada “é elegante ser criança”. As aulas ocorrem aos sábados e são abertas para quem quiser inscrever seus filhos.

Projeto com oficinas e reforço foi idealizado por família. Fotos: Valdeí Balieiro

De acordo com a coordenadora, a pedagoga Miquelly Tito Sanches, todo o projeto partiu de uma iniciativa de sua família que observava crianças que entravam no quintal de sua casa procurando frutas. Foi então que a pedagoga buscou conhecer mais sobre o que levava aquelas crianças a não estarem em ambientes de aprendizados.

“O projeto é uma iniciativa social que partiu da minha família de desenvolver e recolher as dificuldades escolares dessas crianças, além de verificar as crianças que estão em vulnerabilidade social. Esse é o papel do projeto, resgatar essas crianças e auxiliar na educação social de cada uma. Para as famílias é um momento de aprendizado para as crianças que antes estavam nas ruas. Ele funciona na garagem da minha casa onde desenvolvemos trabalhos com elas”, explicou a coordenadora.

Equipe de educadores promove diferentes tipos de atividades

Segunda edição do projeto será com apoio de ONG

Miquelly ainda pontua que em dois anos de existência do Realize, 50 crianças foram atendidas, além de ganhar outras duas grandes apoiaras, a Brazil Foundation, uma Organização Não-Governamental (ONG) que financia projetos sociais, e a Associação Florescer.

“Recebemos um convite da Iria Sá, presidente da Associação Florescer, perguntou se eu não tinha nenhum projeto que quisesse inscrever na associação. Aí, quando abriu um edital da Brazil Foudantion, que é uma ONG que financia projetos sociais, nos inscrevemos. Então fomos uns dos projetos selecionados a receber recursos financeiros que nos ajudam muito e assim o projeto pode finalmente ganhar asas. Já conseguimos atender e resgatar 50 crianças”, disse Miquelly Sanches.

Além dela, o projeto ainda conta com os professores Evelen Lazamé, João Sampaio, Isabela, Nilza Edimara, Miquelly Sanches e Cláudio Sanches.

Rosane Pantoja: filha aprende o que é importante no Realize

Rosane Pantoja é mãe da Raissa Beatriz, que é aluna do projeto. Ela ressalta a importância da participação dos filhos em projetos sociais.

“É muito bom, pois minha filha possui dificuldade na leitura na escola. Então aqui vejo que ela pode aprender muito. Como não tenho condições de arcar com todo o aprendizado dela, como por exemplo curso de inglês, aqui ela irá aprender o que é importante”, comenta a mãe.

Em 2016 o Realize ganhou a premiação da Brazil Foundation de “projeto inovador” e ficou entre os 20 selecionados a concorrer a etapa internacional.

Compartilhamentos