Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Fundação Carlos Chagas (FCC), responsável pelos concursos da segurança pública do Amapá, divulgou que 1.307 candidatos a agentes e oficiais da Polícia Civil não apareceram para fazer a prova, o equivalente a 6,41% dos 19 mil inscritos.

Os portões foram fechados às 14h30min. Na Rodovia Duca Serra, onde havia vários locais de prova, chegou a ver congestionamento. Por isso, muitos candidatos estacionaram nos acostamentos e fizeram o restante do percurso correndo. 

O governo do Estado divulgou que a rede hoteleira de Macapá ficou lotada de candidatos de outros estados. Dos 24 mil inscritos para as provas de delegado, agentes e oficiais, 3.499 declararam morar em outros estados, a maioria do Pará, cerca de 1,4 mil. Mais de 21 mil moram no Amapá.

Candidatos correm para chegar aos locais de prova. Fotos: Marcelo Loureiro/Secom

No total, 40 policiais foram distribuídos nos locais de prova.

“É uma grande responsabilidade trabalhar para manter o concurso sem problemas nesse quesito, pois sabemos que sempre existem pessoas com má intenção e tentando tirar proveito de situações erradas, por isso, todo cuidado é necessário”, explicou o delegado Nixon Kennedy. 

A secretária de Estado da Administração, Suelem Amoras, elogiou a atuação das equipes que trabalharam na organização e também os policiais militares e civis que atuaram na segurança.

“Sabemos do esforço feito pela organização do concurso em manter o certame limpo e o Estado também entrou para auxiliar na prevenção de atos ilícitos, que poderiam viciar o concurso”, ressaltou. 

O concurso da Polícia Civil está oferecendo 120 vagas para agente e 60 para oficial, além de 755 vagas para cadastro reserva.

Rodovia Duca Serra ficou congestionada instantes antes do fechamento dos portões

Compartilhamentos