Compartilhamentos

A caminhada do orgulho LGBT que partiu do Complexo do Araxá no fim da tarde deste domingo arrastando uma multidão de pelo menos 2 mil pessoas, tinha uma reivindicação definida para as autoridades: a criação de um Conselho Estadual dos Direitos dos Homossexuais. Essa minoria é tão desassistida, que não existem estatísticas sobre a violência contra os gays.

Foto: SelesNafes.com

Foto: SelesNafes.com

Militante capricha no visual antes da caminhada.

O ato, sempre repleto de irreverência num clima que lembra o carnaval, também marcou as comemorações pelo Dia Mundial de Combate a Aids. Três organizações, que geralmente trabalham isoladas e divergentes, desta vez se uniram para organizar o evento. “O Estado brasileiro nega 78 direitos à população LGBT. Hoje estamos lutando contra a invisibilidade”, André Lopes, Federação Amapaense de LGBT.

"Hoje estamos Lutando contra a invisibilidade." diz André Lopes, Presidente da Federação LGBT no Amapá.

“Hoje estamos Lutando contra a invisibilidade.” diz André Lopes, Presidente da Federação LGBT no Amapá.

A passeata partiu do complexo do Araxá por volta das 18 horas e seguiu embalada por um trio elétrico até a Beira-Rio. A organização convidou a transformista Danny Cowlt, que trabalha numa boate em São Paulo, para ser destaque no trio que puxava a caminhada.

Foto: SelesNafes.com

Transformista Danny Cowlt de São Paulo é destaque no trio elétrico do evento.

 

Compartilhamentos