Compartilhamentos

Das quatro balsas que fazem a travessia do Rio Matapi, principal ligação entre o município de Mazagão e o restante do Amapá, apenas uma está operando desde o início da manhã desta quarta-feira, 14. A determinação foi da Capitania dos Portos depois que a Secretaria de Transportes do Estado não adotou nenhuma medida para sanar uma série de irregularidades que comprometem a segurança de passageiros que utilizam o serviço.

A primeira vistoria foi realizada em dezembro do ano passado. A Setrap recebeu várias notificações. As balsas não possuem itens básicos de combate a incêndio, como extintores, mangueiras (estão furadas) e redes de água. As embarcações também não possuem equipamentos de salva-vidas, como coletes e boias. “O risco de um acidente é iminente”, resumiu o tenente Fabiano Crespo, da Capitania dos Portos.

Apenas uma balsa está fazendo a travessia. Espera na fila chega a 2 horas

Apenas uma balsa está fazendo a travessia. Espera na fila chega a 2 horas

A Capitania também constatou que as balsas não possuem luzes de navegação noturna e parte das tripulações não tem habilitação. A situação mecânica das balsas, que são muito antigas, também é preocupante. Uma delas possui apenas um motor em funcionamento. Em uma nova vistoria a Capitania concluiu que os problemas permanecem os mesmos. “A equipe de inspeção naval conseguiu deixar uma das balsas funcionando porque pegou de outras embarcações alguns itens como extintores e tripulantes habilitados”, informou Crespo.

A Secretaria de Transportes do Estado pediu mais prazo para regularizar as pendências, mas o pedido foi indeferido pela Capitania. As outras balsas só serão liberadas depois de sanados todos os problemas. “Outra prorrogação não pode mais ser concedida. Não podemos por a vida das pessoas em risco”, frisou o oficial. Com apenas uma balsa funcionando, o tempo de permanência na fila passou de 40 minutos para 2 horas em média. A Setrap não informou o que pretende fazer para regularizar o serviço.

 

Compartilhamentos