Compartilhamentos

O sistema de segurança interna do Instituto e Administração Penitenciária (Iapen) não consegue se livrar de um “Calcanhar de Aquiles”. A velha (e ainda eficiente) Tereza, conseguiu dar liberdade para mais 3 criminosos na madrugada desta sexta-feira, 2. A escapada aconteceu aproveitando mais uma guarita que estava desativada.

Esta foi a quinta fuga registrada em 2014, é praticamente uma a cada mês. Em todos os casos os detentos usaram da fragilidade da vigilância de guaritas sem policiais de plantão. Segundo os agentes penitenciários, falta pessoal. Das 13 guaritas existentes apenas, quatro são usadas para o monitoramento dos detentos durante a noite.

Os detentos Mirael Mendes Pereira, Darlan Patrick Lima Fonseca e Marcos Dominique da Silva Cruz fugiram do Pavilhão F2, onde cumpriam as penas. Eles serraram as grades, passaram para outro pavilhão e conseguiram fugir pela guarita desativada chamada de G10.

A direção do Iapen afirmou que foi uma manobra audaciosa, pois as guaritas G9 e G11 estavam com oficiais de plantão. Policiais que estavam nessas guaritas disseram não terem visto nada.

O Iapen não consegue acabar com a Tereza por apenas um motivo: a falta de policiais em todas as guaritas. Com a nomeação dos novos agentes penitenciários e a saída da PM em definitiva da guarda do presídio, a direção do instituto espera terminar com as fugas

 

Compartilhamentos