Compartilhamentos

A Casa da Cidadania amanheceu lotada na manhã desta segunda-feira, 5, na reta final do prazo para o cadastramento e recadastramento eleitoral que termina na quarta-feira, dia 7. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), dos 25 mil eleitores esperados, apenas cinco mil se regularizaram. A estimativa é que 17 mil títulos sejam cancelados. O prazo que iniciou em fevereiro.

Casa da Cidadania do TRE lotada

Casa da Cidadania do TRE lotada

O primeiro recadastramento biométrico terminou em 29 de novembro do ano passado. Apesar de 80% dos amapaenses terem feito o procedimento, 25 mil eleitores apenas em Macapá, não regularizaram a situação. Além de não poder votar nas eleições deste ano, quem perder o prazo corre o risco de não conseguir fazer a matrícula na universidade, abrir contas em bancos e se alistar nas Forças Armadas. Todas as zonas eleitorais do estado atendem das 8 horas às 17 horas.

Segundo o TRE, a procura é grande para o recadastro e o alistamento. Desde fevereiro apenas 2.430 pessoas em Macapá fizeram o alistamento. A estudante Jaqueline de Souza Pantoja, de 18 anos, que mora no Distrito da Fazendinha, justificou que só fez nesta segunda-feira o alistamento porque estava viajando. “Eu não vim antes porque estava viajando e cheguei ontem. Mas, logo hoje cedo arrumei a documentação necessária e vim para Macapá. Agora com essa fila o jeito é esperar”.

Suellen Gemaque, diretora do TRE

Suellen Gemaque, chefe do cartório eleitoral 2a Zona Eleitoral

A grande procura pela revisão biométrica lotou a Casa da Cidadania. A segurança teve que fazer controle no portão, o que irritou muitos eleitores que procuravam se regularizar. Segundo o TSE, a grande procura nos últimos dias e a demora dos sistemas são normais. “A demora é natural, mesmo porque não é só aqui a revisão, é o fechamento nacional. Todos os municípios de todo o Brasil estão com essa superlotação. Essa enorme procura dos últimos dias sobrecarrega o sistema e deixa tudo lento”, argumentou a chefe de cartório da 2ª Zona Eleitoral, Suellen Gemaque. De acordo com o TER, a estimativa é que até na quarta-feira, 7, três mil pessoas façam a revisão.

De fevereiro até hoje 2.430 eleitores compareceram

De fevereiro até hoje 2.430 eleitores compareceram

Para eleitores residentes em Macapá que deixaram de votar nas eleições anteriores, a revisão só poderá ser feita após o pagamento de uma taxa, de R$ 1,50. Para aqueles que moravam em outros estados e querem fazer a transferência para o Amapá a taxa será no valor de R$ 3,50.

Quem perder o prazo final, quarta-feira, terá o título cancelado e só poderá fazer a revisão biométrica em 2018. Para quem ainda vai completar dezoito anos, os novos alistamentos só voltarão a ser realizados em novembro de 2015.

 

Compartilhamentos