Compartilhamentos

Os trabalhadores da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) vão realizar amanhã, 10, uma manifestação para cobrar o cumprimento do acordo judicial que foi firmado entre o Sindicato dos Urbanitários e o governo do Estado, garantindo que o pagamento dos salários dos servidores da companhia seja efetuado até o quinto dia útil de cada mês. De acordo com a entidade, o acordo vem sendo desrespeitado. Ainda não há previsão de quando serão pagos os salários de maio.

A manifestação vai acontecer em frente a sede da empresa, no Centro de Macapá, a partir das 8 horas. O presidente do STIUAP, Audrey Cardoso, disse que o atraso no pagamento do salário dos trabalhadores é uma prática que vem ocorrendo desde o início do atual governo que não se importa com as consequências que este tipo de decisão causa principalmente às famílias dos trabalhadores. “Água é serviço essencial, e salário não?”, questionou o presidente.

Presidente da Caesa Ruy Smith (ao fundo) ficou de discutir o assunto nesta terça com o governador Camilo

Presidente da Caesa Ruy Smith (ao fundo) ficou de discutir o assunto nesta terça com o governador Camilo. Foto: Ascom/Caesa

De acordo com ele, desde de 2011 a empresa vinha adotando a estratégia de atrasar o máximo possível o pagamento dos trabalhadores.  O sindicato promete que vai novamente acionar a Justiça para que se faça cumprir o acordo firmado e que a empresa pague a multa relativa aos dias de atraso no pagamento conforme estabelecido na sentença.

Sobre o salário de maio, a Caesa informou que ainda não há previsão de pagamento. O presidente da companhia, Ruy Smith, ficou de se reunir amanhã com o governador do Estado Camilo Capiberibe (PSB) para discutir o assunto. 

Compartilhamentos