Compartilhamentos

Foi instalada nesta sexta-feira, 12, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a comissão que cuidar da Votação Paralela, que é uma espécie de auditoria das urnas eletrônicas por amostragem, que visa comprovar a confiabilidade do equipamento e esclarecer isso à população. A votação paralela acontece no mesmo dia das eleições gerais.

Durante a cerimônia de instalação foi apresentado o cronograma de atividades da comissão. A votação paralela acontecerá na capital e no interior, em um município que ainda será sorteado no sábado (4/10), véspera das eleições. A metodologia contará com cédulas e urnas eletrônicas, da mesma forma que o pleito oficial. A ação visa validar os procedimentos eleitorais e seus sistemas que serão usados nas Eleições Gerais 2014.

Na votação paralela, que ocorrerá no 1º turno, no próximo dia 5 de outubro, e no dia 26 do mesmo mês, caso haja 2º turno, os votos assinalados na cédula de votação e, posteriormente depositados em urna de lona, também são digitados nas urnas eletrônicas.

Os dois processos de votação, além de acompanhados por servidores da Justiça Eleitoral, advogados e representantes dos partidos, são filmados. Ao final, contrapõem-se os resultados. Se forem idênticos, estará comprovado o correto funcionamento da urna eletrônica.

O juiz Augusto Leite, presidente da comissão, ressaltou que é a quinta eleição que ele participa nesta função e que é essencial a participação de todos na fiscalização dos trabalhos de auditoria para seja constatada a lisura das eleições e a segurança da urna eletrônica.

Compartilhamentos