Compartilhamentos

A Secretaria de Administração do Estado se pronunciou sobre o caso da socióloga Kérsia Celimary Silvestre Ferreira, deficiente visual de 29 anos. Ela foi aprovada em concurso para telefonista da Sesa, mas vem esbarrando no que chamou de “olhar preconcetuoso” da junta médica encarregada de decidir se ela é capaz ou não de assumir suas funções. A história foi contada aqui em SelesNafes.Com e ganhou grande repercussão. A Secretaria de Administração divulgou a seguinte nota:

Nota Sead:

Em virtude das declarações feitas pela candidata Kérsia Celimary Ferreira em alguns veículos de comunicação, de que teria prestado concurso público na área da saúde em 2012 e até o momento não foi convocada pelo Governo do Amapá, a Secretaria de Estado da Administração (Sead) esclarece:

– a candidata foi convocada no dia 19 de agosto através do edital 049/2014, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), e encaminhada para exames documental e médico no dia 28 de agosto de 2014;

– a referida candidata poderá, conforme o resultado do laudo da Junta Médica, ser lotada no Hospital de Clínicas Alberto Lima, Sesa ou Samu ocupando o cargo de Telefonista Auxiliar de Regulação Médica;

– a Sead certifica ainda que Kérsia Celimary Ferreira será avaliada nesta quinta-feira, 11, pela Junta Médica, pela primeira vez, após prestar o concurso público.

Caso:

Em relação a última nota, Kérsia informou que, diferentemente do que vem sendo exposto pela nota, já esteve por duas vezes na junta médica, e voltou a afirmar que houve preconceito por parte do médico que realizou a avaliação. “Ele praticamente disse que eu iria matar uma pessoa, pois não tinha as atribuições necessárias para exercer a função de telefonista” contou Kérsia.

Veja a matéria na integra AQUI:

Compartilhamentos