Compartilhamentos

Apesar o atraso, a segunda noite de desfiles das escolas de samba do Amapá foi marcada por alegria, samba e participação do público que não arredou o pé até a última escola cruzar a Ivaldo Veras, no sambódromo. A chuva até ameaçou cair, mas a festa continuou até às 6 horas desta segunda-feira, 16. O grande destaque foi o belíssimo desfile da Piratas da Batucada que levantou a torcida e amarelou o sambódromo.

 

Emissários da Cegonha

1º casal de mestre sala e porta-bandeira da Emissários- agência Amapá

Com meia hora de atraso, entrou às 22h30min . A Emissários levou para a avenida o enredo “Hoje tem marmelada? Tem, sim senhor. E o palhaço quem é?”. Nas tradicionais cores azul e vermelho, a agremiação levou para avenida 1,7 mil brincantes nas suas 11 alas.

A escola integrante do grupo de acesso destacou a relação entre o bem e o mal nos seres humanos, assim como a relação de dominador e submisso na sociedade fazendo críticas às desigualdades sociais. Mas o grande destaque foi o 1ª casal de mestre-sala e porta-bandeira.

Piratas Estilizados

Comissão de frente da Piratas Estilizados-agência Amapá

A segunda escola a entrar na avenida do samba levou 12 alas, 3 alegorias e 1,7 brincantes. A agremiação desfilou pontualmente a meia-noite levando ao sambódromo o enredo “Você Sabia? Estilizados… Vem Revelar!”. “Foi um grande sucesso e sentimento de dever cumprido. Estamos na luta pelo título e pelo melhor samba enredo”, frisou o presidente da agremiação, Roberyo Antônio Leite.

A escola atraiu olhares para a comissão de frente intitulada “As maravilhas estão nos olhos de quem vê”, com 15 bailarinos acrobatas e malabaristas muito simpáticos que alegraram as arquibancadas.

Unidos do Buritizal

Unidos do Buritizal- bateria- agência Amapá

Com a despedida do intérprete Ivo Cannuty, com vinte anos de escola, a Unidos do Buritizal foi a terceira agremiação que desfilou na Avenida do Samba a 1h30min da madrugada desta segunda. A atual campeã do grupo de acesso cantou o samba enredo “O admirável universo de Leonil Amanajás, uma história versada em azul e branco”, que narrou da infância a formação em Letras do professor Leonil.

Com 1.800 brincantes, 16 alas e 4 carros alegóricos, a agremiação inovou com uma paradinha e troca de roupa da bateria, mostrando a profissão do professor Leonil. “Nós não estamos de brincadeira. Temos uma comissão de frente ousada, carros de LED e uma bateria que fez um espetáculo. Vamos disputar até o último milésimo esse título”, destacou o diretor de harmonia da escola, Heder Marinho.

Piratas da Batucada

Piratas da Batucada

Quarta escola a desfilar, a Piratas da Batucada, entrou na avenida às 3 horas da madrugada. Com o enredo “Quem Conta um Conto Aumenta um Ponto”, a agremiação coloriu de amarelo as arquibancadas do sambódromo recebendo todo amor e carinho da comunidade. Com uma evolução quase que perfeita, a escola fez um passeio mágico por brincadeiras e contos infantis, destacando personagens como Pinóquio, Cinderela, Sherek e Chapeuzinho Vermelho.

Mesmo com o tempo sobrando, a comissão de frente, com 15 componentes deu uma acelerada no passo e prejudicou um pouco o grande espetáculo, com movimentos ritmados e coreografados. “Nossos brincantes estavam muito seguros, mesmo porque tínhamos um longo trabalho realizado. As fantasias ficaram lindas e conseguimos cumprir dentro do tempo mínimo. Esse título é nosso”, adiantou o diretor de carnaval da escola, Clvis Junior.

Boêmios do Laguinho

Comissão de frente da Boêmios

Última escola a desfilar foi a campeã do ano passado, a Boêmios do Laguinho entrou na avenida do samba as 4h43min. A agremiação, que coleciona 26 títulos, contou na avenida a história de gaúchos no enredo “Gaúcho sou bamba, nação negra nos pampas”.

Com 13 alas, 4 alegorias e 3 tripés, o grande destaque foi uma ousada evolução da comissão de frente no recuo da bateria. Outro diferencial da escola foi a mudança na ordem da bateria, que normalmente vem após a primeira ala, mas veio após a terceira ala este ano.

Com alegorias com ótimos acabamentos, e transitando desde a chegada dos europeus até a guerra dos farrapos, a Boêmios optou em inovar. “Tudo que fizemos está dentro do projeto apresentado à Liesap. A escola estava linda e mostramos toda raça a vermelho e branco. Agora é aguardar o resultado”, disse a presidente da agremiação, Daiane dos Santos.

Fotos: Cássia Lima e Agência Amapá

 

Compartilhamentos