Compartilhamentos

Terminou a greve dos servidores da Justiça. A categoria aprovou o acordo feito nesta sexta-feira, 12, entre o sindicato e a direção do Tribunal de Justiça durante uma audiência de conciliação que começou por volta das 9 horas e só terminou no fim da manhã. Os funcionários da justiça aceitaram mais 4% além dos outros 4% lineares concedidos no mês passado, e mais o pagamento de promoções atrasadas.

Na audiência de conciliação ficou acertado que as promoções atrasadas para 240 funcionários serão pagas a partir de 1ª de julho e que as ações judiciais com sentenças de multas serão suspensas pelo prazo de 90 dias.

No final das contas, a categoria conseguiu os 8% que queria

No final das contas, a categoria conseguiu os 8% que queria

Os abonos aos chefes e subchefes de secretarias serão incorporados aos salários a partir de março de 2016, dependendo da disponibilidade orçamentária.

Além disso, os servidores queriam 8,13% de reposição de perdas inflacionárias. O Tjap já tinha dado 4% em abril e na reunião de conciliação concordou em pagar mais 2% no dia primeiro de julho e mais 2% até outubro, por meio de suplementação orçamentária repassada pelo Executivo aos poderes.

Jocinildo Moura, presidente do Sinjap: movimento vitorioso

Jocinildo Moura, presidente do Sinjap: movimento vitorioso

O comando de greve considerou o movimento vitorioso.

“Essa foi a primeira reunião em que conseguimos dialogar direto com a desembargadora Sueli Pini (presidente do Tjap). Conseguimos o reajuste, pagamento de promoções e aceitamos suspender a greve. Decidimos que outras pautas importantes deverão ser discutidas pela comissão de negociação do sindicato e comitê de acompanhamento da presidência do tribunal”, destacou o presidente do Sindicato dos Serventuários da Justiça (Sinjap), Jocinildo Moura.

A reunião foi mediada pelo presidente da OAB/AP, Paulo Campelo, e pelo diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral, Veridiano Colares.

Compartilhamentos