Compartilhamentos

 

A Câmara de Vereadores de Macapá aprovou o reajuste linear de 4% para os servidores municipais. No mês passado, professores e agente de endemias entraram em greve porque queriam 10% de reposição.

O projeto de lei nº 003/2015 foi enviado pelo prefeito Clécio Luís (Psol). Segundo o líder do governo na Câmara, vereador Nelson Souza, a proposta está dentro do esperado e dos limites orçamentários do município.

“O prefeito Clécio Luís se preocupa muito com os trabalhadores. Tanto é que na sua gestão foi reaberto o diálogo. Só no início da gestão foram pagos mais de R$ 20 milhões em reajustes salariais. Queríamos poder pagar mais, porém temos uma condição orçamentária que não permite”, frisou o vereador.

Presidente da Câmara, Acácio Favacho: diálogo

Presidente da Câmara, Acácio Favacho: diálogo

A proposta foi votada na última terça-feira, 9, em sessão ordinária na Câmara. Para o presidente da Casa, vereador Acácio Favacho (PMDB), o projeto atende às expectativas dos servidores públicos.

“Casa continuará atendendo as pautas de interesse do funcionalismo, travando debates e buscando soluções. Vamos ressaltar que estamos abertos para dialogar com os servidores”, destacou Favacho.

No dia 28 de abril, servidores municipais de saúde e educação ocuparam o prédio da prefeitura de Macapá em protesto à proposta de reajuste salarial de 4%. A greve terminou num acordo após 49 dias de paralisação. A PMM se comprometeu a pagar 4% e uma progressão funcional.

 

Compartilhamentos