Compartilhamentos

Não é embriaguez ao volante, avanço de sinal vermelho nem excesso de velocidade. A ocorrência que fica mais comum a cada dia nas rodovias estaduais é a direção sem a carteira de habilitação. Durante dois dias, o Batalhão de Patrulhamento Rodoviário Estadual (BPRE) flagrou 16 motoristas sem a CNH. Em quase sete meses são mais de 1,3 mil casos.

O BPRE é responsável por rodovias como a Duca Serra, JK, AP-070 e AP-440.

Em janeiro foram flagrados 236 motoristas sem a CNH; em fevereiro, 168; março, 260; abril, 205; junho, 172, e em julho, 100 registros até este domingo, dia 26.  No total, foram 1.348 casos. Em dois dias, foram autuados 16 motoristas sem carteira.  

Motos e carros dividem meio a meio a quantidade de ocorrências. Fotos: SelesNafes.Com

Motos e carros dividem meio a meio a quantidade de ocorrências. Fotos: SelesNafes.Com

“Isso corresponde a 16% das nossas autuações, e reflete diretamente na quantidade de acidentes por imperícia e imprudência”, comenta o capitão Rondineli Marques, comandante do BPRE.

Dirigir sem carteira de habilitação é considerado infração gravíssima pelo Código Brasileiro de Trânsito. Resulta em multa de R$ 574,61, e apreensão do veículo. “Ainda damos uns 30 minutos para que apareça alguém habilitado para conduzir o veículo”, garante o comandante.

Há casos de mulheres flagradas dirigindo sem a CNH, mas a maioria, 85%, é do sexo masculino. Cinquenta por cento são motociclistas.

Compartilhamentos