Compartilhamentos

Foi transferido na manhã deste domingo, 23, para o município de Jacareacanga, no interior do Pará, o corpo do empresário José Augusto Fantin Ribeiro, de 50 anos. Ele foi encontrado morto na manhã de sábado, 22, no apartamento onde morava sozinho no Bairro do Buritizal, na Zona Sul de Macapá. A polícia diz que ele deixou uma carta se despedindo da família e explicando as razões do suicídio.

De acordo com o Centro Integrado de Operações em Defesa Social (Ciodes), ao lado do corpo do empresário havia 7 frascos vazios de um veneno para rato chamado de “2000 Gatos”, mas conhecido também como “chumbinho”.  O corpo foi encontrado no fim da manhã.

Segundo um parente, José Augusto era um comerciante bem sucedido em Jacareacanga, quando há quatro anos decidiu se mudar para Macapá a convite de outro empresário para trabalharem juntos. Os dois acabaram rompendo, e José Augusto montou um mercantil no Bairro do Muca que acabou não prosperando.

Na carta, empresário deixa claro que a separação foi um duro golpe

Na carta, empresário deixa claro que a separação foi um duro golpe

Este ano, a esposa, que é professora, decidiu voltar ao Pará. Antes disso, o filho tinha tomado a mesma decisão. Na carta deixada para a família, o empresário deixou claro que a separação da família foi um grande golpe.

Na carta, ele informa onde estão as roupas com que gostaria de ser enterrado. “Estão perto do guarda-roupas”, diz ele. O empresário perde perdão a Deus, à família e às pessoas com quem contraiu dívidas “não porque quis”.

Ainda de acordo com a mesma fonte, o empresário vinha tentando convencer a esposa a retornar para Macapá. Ela recusava.

O suicídio de José Augusto, natural do Distrito Federal, foi o quarto registrado pela polícia em uma semana.

Compartilhamentos