Compartilhamentos

Agentes da 2ª Delegacia de Polícia de Santana prenderam no início da tarde desta quinta-feira, 10, no Conjunto Mestre Oscar, na Zona Norte de Macapá, Alan Rodrigues Maciel, 22 anos, o “Alanzinho”. Segundo a polícia, é ele quem aparece nas imagens de circuito interno de segurança atirando contra o fiscal da Secretaria de Fazenda do Estado (Sefaz), Rui Costa Assunção, em junho deste ano. A vítima morreu 42 dias depois de complicações resultantes dos tiros.

Alanzinho estava escondido na casa da mãe dele, e estava foragido do Iapen desde março deste ano, onde cumpria pena por assalto e tráfico.

Alanzinho estava escondido no conjunto Mestre Oscar. Foto: 2 DP

Alanzinho sendo conduzido para a delegacia: Estava escondido no conjunto Mestre Oscar. Foto: 2 DP

Na noite do dia 20 de junho, o fiscal chegava em casa, na Vila Amazonas, e foi surpreendido por assaltantes que já haviam dominado os moradores da residência.

“Na ação participaram três, mas existem outras pessoas que passaram informações sobre a casa”, explicou a delegada da 2ª DP de Santana, Luiza Maia. Outros dois criminosos continuam sendo procurados.

Rui se recuperava bem, mas teve complicações. Foto fornecida por amigos

Rui se recuperava bem, mas teve complicações. Foto fornecida por amigos

As imagens mostram a vítima descendo o carro e voltando logo em seguida ao perceber a aproximação de um dos bandidos armado. Ele chegou a se trancar no carro. O bandido se aproximou da janela (foto de capa) e disparou ao menos duas vezes.  

Achando que a vítima estava morta, o assaltante voltou para dentro da residência. Mesmo gravemente ferido, Rui acionou o portão e dirigiu em busca de ajuda.

Quando os assaltantes perceberam que ele saia com o veículo, fugiram pelo portão da garagem que permaneceu aberto.

Rui ficou internado no Hospital de Emergência e chegou a apresentar melhoras, mas no dia 1º de agosto teve complicações, entrou em coma e morreu.

Alanzinho foi preso por volta das 16 horas no Conjunto Mestre Oscar, e vai prestar depoimento ainda hoje. A polícia espera que ele revele quem foram os outros bandidos que participaram do assalto e as pessoas que colaboraram repassando informações. O bando sabia que a cerca elétrica da casa do fiscal estava desativada.

 

Compartilhamentos