Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A forte chuva que caiu na capital na manhã desta quinta-feira, 4, não impediu cerca de 1,5 mil macapaenses de irem à Praça da Bandeira, no Centro, comemorar o aniversário de 258 anos de Macapá. O ponto alto da festa foi o hasteamento das bandeiras da capital, do Estado e do Brasil. E apesar de não ter o tradicional bolo, o público se encantou com a nova aparência da praça que foi revitalizada.

A Praça da Bandeira foi completamente revitalizada: agora é manter

A Praça da Bandeira foi completamente revitalizada: agora é manter

“Está muito bonita a praça, as crianças fantasiadas e a animação do povo. A chuva atrapalhou, mas nada nos impediu de vim aqui dar parabéns à cidade. Só espero que todos tenham consciência de preservar o espaço limpo”, frisou a funcionária pública, Dercy do Nascimento, de 49 anos.

A programação da cidade iniciou com a missa na catedral de São José e depois seguiu para a Praça da Bandeira. Devido à chuva, o hasteamento das bandeiras atrasou em uma hora. O evento seguiu com apresentações teatrais, cortejo do Banzeiro Brilho-de-fogo, entrega de 8 novos ônibus para a cidade e exposição de quadros.

Bismark: "isso deveria ocorrer em todas as praças". Fotos: Cássia Lima

Bismark: “isso deveria ocorrer em todas as praças”. Fotos: Cássia Lima

“Esse é um momento histórico pra praça e para o povo macapaense porque devolvemos as bandeiras ao seu devido lugar. Essa praça tem um significado gigantesco para o município de Macapá e nesse momento estamos valorizando nossa memória cultural”, destacou o prefeito de Macapá, Clécio Luís.

A revitalização na Praça da Bandeira, além da reposição de grama, podagem de árvores e pintura contou também com a intervenção de duas obras de arte feitas de árvores da própria praça. Árvores mortas foram transformadas em esculturas.

Praça ganhou ambientação artística

Praça ganhou ambientação artística

Oito ônibus novos foram apresentados

Oito ônibus novos foram apresentados

“Isso já mudou todo o ambiente da praça, Isso foi uma ideia excelente. Eu já frequento aqui e agora que vou trazer minha família mesmo”, declarou Antônio Campos, de 65 anos que fez questão de tirar foto ao lado do Monumento Resistência, nome dado a uma das esculturas.

A festa foi embalada pela banda da Guarda Civil Municipal de Macapá e Belo Tambor do Banzeiro. O hasteamento da Bandeira de Macapá foi feito pelo prefeito, a do Estado pelo governador Waldez Goés, a do Brasil pelo senador da República Randolfe Rodrigues e a Bandeira Olímpica pelo professor de educação física, Ernesto Dias.

Apesar da chuva, população compareceu

Apesar da chuva, população compareceu. Alunos de escolas também foram levados pra conhecer a nova Praça

“Essa revitalização é maravilhosa porque redescobrimos a própria história da praça e a sua importância para a cidade. Me chamou atenção as intervenções nas árvores e as placas que dão nome a cada planta. Está muito bonito, isso devia ocorrer em todas as praças da capital”, enfatizou o advogado Adlan Bismarck.

Guarda Civil de Macapá

Guarda Civil de Macapá após apresentação da Banda Marcial da corporação

A praça, que passou por reparos e ambientação artística, recebeu também as bandeiras de todos os municípios do estado hasteadas pelos respectivos prefeitos, convidados especiais da cerimônia. Durante seu discurso, o prefeito fez um pedido e apelo aos cidadãos por Macapá.

“Todo aniversário  tem um pedido, hoje quero pedir gentilmente que os cidadãos preservem este lugar limpo, assim como a frente das suas casas, seus quintais. Que todos os macapaenses cuidem de cada canto da cidade como se cuidassem de um espaço dentro da sua própria casa, isso deixará a cidade mais linda ainda”, pediu o prefeito.

Histórico

A Praça da Bandeira foi inaugurada em 21 de janeiro de 1959, com pilar de alvenaria, uma base de concreto e o mapa do Amapá no topo. O terreno era um descampado em frente ao Colégio Amapaense.

Prefeito Clécio Luiz: pedido para que a população cuide da praça e da frente de suas casas

Prefeito Clécio Luiz: pedido para que a população cuide da praça e da frente de suas casas

A praça foi uma homenagem ao deputado Coaracy Gentil Monteiro Nunes, ao suplente do deputado Hildemar Maia, e ao oficial administrativo Hamilton Silva que haviam morrido em um acidente aéreo na localidade de Carmo do Macacoari, no município de Itaubal, um ano antes, na manhã do dia 21 de janeiro de 1958. O descampado, então, recebeu o nome de Praça da Saudade.

O nome  resistiu até o fim da década de 1960, quando em abril de 1967 assumiu o governo do ex-Território Federal do Amapá o general Ivanhoé Gonçalves Martins. Ivanhoé governou até 1972, e, nesse período, a Praça da Saudade passou a ser chamada de Praça Cívica e, posteriormente, Praça da Bandeira.

Compartilhamentos