Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

As andorinhas que faziam todos os fins de tarde um lindo balé no Centro Comercial de Macapá, mais precisamente na Rua Cândido Mendes esquina com a Avenida Padre Júlio Maria Lombaerd, desapareceram há mais de cinco anos. Toda a cidade notou o sumiço das aves, mas o macapaense ainda se pergunta para onde elas foram. Um especialista em pássaros disse que elas continuam pelo Estado, e que saíram do Centro de Macapá por conta das mudanças no ambiente, como a luz forte e o barulho.

Eram duas espécies de andorinhas. As chamadas domésticas, que eram em maior número; e a andorinha do sul, que também fazia parte do bando, mas em menor número. Em 2004, o ornitólogo Kurazo Okada, resolveu observar a rotina desses pássaros. Acompanhado de um amigo, o especialista contou mais de 20 mil aves em cinco anos de observação.

Kurazo Okada diz que as andorinhas continuam vindo para o Amapá, apenas mudaram de local

Kurazo Okada diz que as andorinhas continuam vindo para o Amapá, apenas mudaram de local. Foto: André Silva

“Quando eu era mais jovem, lembro que essas andorinhas chegavam a ocupar todo um quarteirão”, comentou Kurazo.

O número de pássaros foi diminuindo com o passar dos anos. Em 2011, quando o Kurazo fez a última observação, esse número chegou a 10 mil andorinhas. Desde esse ano ele não viu mais os pássaros no centro. Elas costumavam chegar em maio e ficar até agosto.

“Esses pássaros têm o hábito de migração. A maioria se desloca fugindo do frio do polo norte ou do polo sul, dependendo da espécie de andorinha. Essas que vinham para Macapá em busca de um lugar mais quente e com mais alimentos, são da América do sul e fugiam do frio das Cordilheiras dos Andes”, explicou o ornitólogo.

Segundo o especialista, eram duas espécies de andorinha que vinham para Macapá. Fotos dos Pássaros: Kurazo Okada

Segundo o especialista, eram duas espécies de andorinhas que vinham para Macapá. Fotos dos Pássaros: Kurazo Okada

Ele diz que não entende muito bem porque os pássaros deixaram de pousar no lugar de costume. Ele chegou a ver as aves em outros lugares do Estado. Em algumas de suas expedições a trabalho pelo Estado, Kurazo disse ter visto os pássaros em árvores e em torres pelas cidades e no interior.

Algumas pessoas não gostavam tanto da presença das aves. Eles faziam muita sujeira nos lugares onde pousavam. De acordo com o biólogo, houve um tempo em que as pessoas pensavam que as fezes das andorinhas transmitiam a gripe aviária, pelo fato de algumas aparecerem mortas.

Os fios elétricos do Centro de Macapá ficavam repletos de aves

Os fios elétricos do Centro de Macapá ficavam repletos de aves

Existem várias teses que podem estar ligadas à saída dos pássaros do centro comercial. Segundo o biólogo, um dos fatores que mais podem ter contribuído seria a mudança climática, que para os humanos pode ser imperceptível, mas para os pássaros não.

Compartilhamentos